Apesar de ter triplicado nos últimos 35 anos, presença feminina ainda é minoria em MBAs

Já falamos aqui sobre a diferença na presença de mulheres e homens em certas áreas profissionais, como a de tecnologia, ou a diferença entre seus salários, claro que sempre com a ala feminina em desvantagem.

Hoje, mais um estudo que mostra que as mulheres ainda têm um caminho de conquistas para atingir a tão sonhada igualdade de gêneros, dessa vez no mundo acadêmico e de profissionalização.

Dados da Forbes mostram que apenas um a cada três estudantes de MBA é mulher, embora, a presença feminina em cursos do tipo tenha triplicado nos Estados Unidos desde os anos 1980.

Outra pesquisa, divulgada pela U.S. News, avaliou as 15 melhores escolas de MBA dos Estados Unidos, em que a melhor colocada, a Universidade da Califórnia, em Berkeley, tem 43% de alunas em seu quadro, sendo a presença feminina ainda minoria.

A última colocada foi a Universidade da Virgínia, com 31,1% do total.

Se por curiosidade quiser ver as outras escolas avaliadas e seus resultados, a pesquisa está disponível aqui.

Apesar das informações serem apenas de ambientes norte-americanos, servem como uma base inicial para refletir e questionar cada vez mais a presença da mulher em todos os aspectos da sociedade.

Afinal, se todas temos um Plano, o que é preciso para alcançá-lo? Um MBA talvez?

Montamos uma enquete rápida para entender também essa questão no Brasil. Responde aqui abaixo e, claro, não deixe de comentar o que achou da pesquisa e suas impressões sobre o tema.

Ana Victorazzi

Jornalista

Apaixonada por café, cor laranja e animais. Formada em jornalismo e mãe de dois gatos, acredita na bondade das pessoas.