As mulheres são menos importantes do que o gado na Índia?

Um projeto de fotografia mostra mulheres de máscara de vaca e questiona se as mulheres são menos importantes do que o gado na Índia.

As fotos  viralizaram no país e o fotógrafo Sujatro Ghosh, de 23 anos, recebeu a a ira dos trolls nacionalistas hindus.

“Estou perturbado pelo fato de que, no meu país, as vacas são consideradas mais importantes do que uma mulher, e aqui se leva muito mais tempo para uma mulher que é estuprada ou assaltada obter justiça do que para um problema com uma vaca, animal que muitos hindus consideram sagrado”

Crimes contra mulheres, segundo estatísticas do próprio governo indiano, são reportados a cada 15 minutos.

“Estes casos continuam durante anos nos tribunais antes que os culpados sejam punidos, enquanto que quando uma vaca é abatida, grupos extremistas hindus vão imediatamente matar ou espancar quem suspeita de matança”.

O projeto segundo o autor é a “sua maneira de protestar” contra a crescente influência dos grupos de proteção de vacas que se tornaram cada vez mais fortes desde que o Partido Nacionalista Hinduista chegou ao poder no verão de 2014 .

Nos últimos anos, a vaca mais do que nunca se tornou-se o animal mais polêmico  da Índia.

O governo insiste que o animal é sagrado e deve ser protegido. O abate de vacas é proibido em vários estados, uma punição severa foi introduzida para os infratores e o parlamento está considerando um projeto de lei para trazer a pena de morte para o crime.

Mas a carne de vaca é um alimento básico para os muçulmanos, os cristãos e os milhões de dalits de castas baixas (anteriormente intocáveis) que vivem no país.  E por conta disso muitas pessoas morreram nos últimos dois anos em nome da vaca. Os alvos são frequentemente escolhidos com base em rumores infundados e os muçulmanos foram atacados por transportar vacas para o leite.

Ghosh, que é da cidade oriental de Kolkata (anteriormente chamada de Calcutá), diz que tomou consciência “dessa mistura perigosa de religião e política” apenas depois de se mudar para Delhi há alguns anos.

Durante uma visita a Nova York, ele comprou a máscara de vaca de uma loja de festa e, ao retornar ao país, começou a produzir imagens para a série, tirando fotos de mulheres na frente de pontos turísticos e edifícios governamentais, nas ruas, em suas casas, em um barco e em um trem, porque “as mulheres são vulneráveis ​​em todos os lugares”.

“Fotografei mulheres de todas as partes da sociedade.” Sujatro Ghosh

Liliane Ferrari

Jornalista, consultora e professora de Mídias Sociais do UOL, Escola Cuca, Ecommerce School, Quero Ser Social Mídia, Plugcitarios, e eduK. Apontada como uma das 10 mulheres mais influentes da internet brasileira pelo iG. Com passagem por empresas como Petiscos, LiveAd, Editora Trip, Editora Alto Astral, TV Globo, Time4Fun, C&A, O Boticário, Colgate, Santander, Facebook, entre outras.