Campanha "Mulheres Incompartilháveis" quer diminuir casos de revenge porn

Você já ouviu falar de revenge porn, o ato de se vingar de alguém compartilhando fotos e vídeos íntimos da pessoa com outras sem consentimento?

A Prefeitura de Curitiba não só está ciente desse termo e da existência desse crime que estreou uma incrível campanha sobre a pornografia da vingança (revenge porn, em inglês).

A ação, intitulada “Mulheres Incompartilháveis”, acontece no WhatsApp e alerta sobre a violação da intimidade, principalmente de meninas e mulheres.

“O foco é WhatsApp: a imagem em JPG e o vídeo estão borrados de propósito, lembrando o arquivo que está sendo carregado”, explica o diretor de marketing e publicidade da prefeitura, Marcos Giovanella, em entrevista ao Brasil Post.

Ao clicar na imagem para, supostamente, carregá-la, é possível ler a mensagem contra o revenge porn, como no exemplo abaixo:

original

“Esperamos que haja uma real mudança de comportamento. Que os homens coloquem a mão na consciência e pensem: ‘ela fez uma foto sensual para mim, só para mim, em um momento X’. Se a relação acabou, essa imagem não pode ser compartilhada. Ele não pode usar como chantagem para destruir a vida da ex-parceira”,  diz Giovanella.

Segundo dados da SaferNet, só em 2014, foram 224 denúncias apenas, sendo que as vítimas desse tipo de crime quadruplicou no país.

Como bem lembrado também pelo Brasil Post, em 2013, duas adolescentes se suicidaram no Brasil após serem vítimas de pornografia da vingança.

Para denunciar, basta ligar na Central de Atendimento à Mulher pelo número 180.

Ana Victorazzi

Jornalista

Apaixonada por café, cor laranja e animais. Formada em jornalismo e mãe de dois gatos, acredita na bondade das pessoas.