Como usar o estilo indígena para decorar a casa?

Cada vez mais, decorar a casa com personalidade é uma realidade com a maior oferta de lojas, personalizações e inspirações que nos ajudam a identificar o que faz nosso coração se sentir em um lar e não em uma sala qualquer.

Dentro das tendências, está o aumento da inserção de elementos naturais e que nos remetem às nossas origens, com materiais típicos brasileiros e referências a cultura indígena, por exemplo.

Mas afinal, como utilizar esses estilo na sua casa ou escritório?

O arquiteto Fabrício Forg dá 5 dicas de como trazer este cenário natural e aconchegante para seus ambientes:

1 – Aquecendo o décor: Geralmente no inverno, temos tendência em optar por objetos e texturas mais escuras, sobretudo quando falamos de peças como sofás e poltronas – que são mais usados nesta época do ano. Contudo, abusar de marrons e pretos gera um clima pesado nos interiores de nossas casas, valendo a dica de dar calor com toques de cores mais quentes. Os tons de vermelho e laranja, quando misturados com o preto e o marrom, remetem muito às estampas indígenas, podendo decorar os sofás em almofadas, xales em cortinas ou revestimentos de pufes ou banquetas.

2 – Mais conforto aos convidados: Com as temperaturas mais baixas, os espaços internos voltam a ser usados com maior frequência. Nesse momento, surge a necessidade de mais lugares para comportar os convidados em reuniões ou eventos familiares. Uma dica para suprir esta necessidade, sem necessitar de muito espaço, é o uso de pufes em fibra ou bancos em madeira, sendo os mais rústicos a melhor opção para criar a atmosfera étnica brasileira no décor. Muitos designers contemporâneos desenvolveram peças pequenas e incríveis para este objeto, mas os mais rústicos dão um charme a mais na decoração.

unnamed-2

3 – Trazendo a natureza para dentro de casa: Embora o clima frio seja o período de hibernação de algumas espécies, ainda assim temos plantas que preservam sua beleza mesmo no outono e inverno. Algumas, mesmo com folhagens mais escuras, são indicadas inclusive para espaços internos porque não necessitam de muita luz do sol para manterem-se estáveis, e por isso são muito utilizadas na decoração de interiores. Estabeleça um canto na casa e escolha a espécie adequada com a orientação de um jardineiro. Para o cachepot, as cestarias indígenas caem muito bem, desde que internamente a planta esteja em um vaso adequado.

4 – Mostrando a coleção de artefatos: Nestes dias em que a casa fica cheia de amigos, mostrar nossos gostos pode dar margem a gostosas conversas. E, certamente quem viaja pelo País acaba trazendo alguma lembrança de uma visita a aldeias ou mesmo um artefato indígena comprado de um próprio artista. Nestes tempos de brasilidade, uma dica é decorar mesas laterais e as paredes com itens como cocares, colares ou cestaria indígena. Além de dar personalidade ao ambiente, estes itens combinam com qualquer tema decorativo e dão um ar sofisticado e cool ao décor.

unnamed-1

5 – Decorando o chão com grafismos: Os apaixonados por decoração étnica podem investir em tapetes que imitam peles bovinas ou mesmo outras texturas como lãs de carneiro, perfeitas para estes dias mais frios. Contudo, em alguns ambientes tais itens não são bem-vindos, ou pela necessidade de manutenção dos tapetes ou pelos problemas gerados por excesso de pelos. Para estes casos, já existem no mercado tapete produzidos com material sintético, com simples manutenção, mas incrível estampa, elaborada com grafismos indígenas. Se seu ambiente permite, garanto que essa escolha será uma das possíveis de perpetuar em seu décor para as próximas estações.

Um exemplo são os tapetes da Kyowa Tapeçaria produzidos de forma sustentável e com 100% das matérias-primas recicladas pelos índios da ONG Opção Brasil.

A tapecaria conta com desenhos e símbolos presentes nos corpos e no artesanato dos habitantes das comunidades indígenas, em momentos importantes como festas e cerimônias religiosas.

unnamed

Ana Victorazzi

Jornalista

Apaixonada por café, cor laranja e animais. Formada em jornalismo e mãe de dois gatos, acredita na bondade das pessoas.