Ela tem um Plano: conquistar o mundo com sua marca de acessórios

A Adriana é uma mulher forte, que já passou por muita coisa na vida. De família simples, sempre estudou em escola pública e seus pais sempre foram seu ponto de força dando a ela uma criação que a fez entender que para tudo havia um limite. Aos 14 anos quase se afogou na praia e viu seu primeiro namorado morrer afogado. Depois, passou por um relacionamento abusivo, que durou 8 anos e somente depois de acabar percebeu que poderia ser muito mais do que imaginava. Depois, Adriana se formou em hotelaria, fez intercâmbio, hoje é noiva de um cara que é parceiro e a respeita muito. Depois de atuar na área de eventos corporativos e passar por muitos estresses, decidiu olhar para si mesma e abrir o seu próprio negócio, foi assim que surgiu a Agama, uma empresa de bolsas e acessórios feitas com tecidos reaproveitados. Vem conhecer mais a história del

PLANO FEMININO: Quando começou a carreira empreendedora e por que empreender?

ADRIANA COSTA: ​Oficialmente foi em agosto de 2014 com a Agama, depois de uma autorreflexão, percebi que estava sobrevivendo e não vivendo como gostaria. Como profissional do mundo corporativo tradicional eu já não me encaixava, eu trabalhava e esperava algum tipo de reconhecimento que não vinha, nem um simples, “obrigada por esse trabalho” tinha. Decidi empreender porque queria dar sentido pra minha vida, ter qualidade, saúde, e até mesmo tempo. Hoje trabalho muito mais, mas encontro tempo de fazer o que quero na hora que quero, me dou o prazer de sentar na escada de casa para sentir o sol, de cuidar do jardim, de bater papo com minha avó e isso é o que me deixa feliz.

 

 

PLANO: O que mais tem aprendido nesta jornada?

ADRIANA: ​Ao longo desses 3 anos, mais do que quando era CLT, percebi que empreender é um aprendizado de dentro pra fora. Eu me permito ouvir mais, a mim e aos outros. Entender que trabalhar sozinha é legal até um certo ponto, que parcerias são muito importantes para o crescimento, aprendi a dar valores para pequenas coisas, aliás, entendi a diferença entre preço e valor. Enfim, eu poderia passar horas falando sobre o que aprendi e aprendo sempre.​

PLANO: Qual é o seu objetivo com a Agama?

​ADRIANA: Na Agama eu crio e confecciono bolsas e acessórios feitos com tecido de reaproveitamento. Ao vender as bolsas, eu procuro mostrar pras pessoas a história daquela peça, que ela foi feita com uniforme, ou então que determinada bolsa era uma cortina, que as caixinhas longa vida, que perdem sua funcionalidade assim que o liquido acaba, podem virar carteiras cheias de DNA… enfim, quero mostrar que a criatividade está aí para ser usada, que podemos quebrar paradigmas e dar nova funcionalidade para um objeto que foi feito pra ser outra coisa.

 

 

PLANO: O que é mais importante para fazer acontecer na sua opinião?

ADRIANA: ​Não ter vergonha de pedir, aliás, não ter vergonha de nada. Sempre digo que o “não” eu já tenho, então vou em busca do sim.​

PLANO: Agora, conta pra gente, quais são os seus principais desafios?

ADRIANA: ​Acho que é fazer o negócio se manter saudável em uma épocas em que as pessoas mal tem comprado alimento. Aprendi a trabalhar com permuta também, já que dinheiro é prioridade para itens não supérfluos, como acessórios, por exemplo. Acho que em momentos de crise, é quando você precisa se reinventar para que o negócio continue firme e forte.​

PLANO: Qual é a dica que você daria para um empreendedora que esteja iniciando?

​ADRIANA: Se é isso mesmo que você quer, não desista. Obstáculos vão existir, sua família nem sempre vai entender e apoiar, nem sempre vai ter a quantia em dinheiro que gostaria, mas você vai passar a dar valor pra outras coisas que darão total sentido pra o que você esta fazendo.  ​

 

 

PLANO: Pra terminar, qual é o seu plano para os próximos anos?

ADRIANA: Quero trabalhar em parceria com outras marcas, não focar minhas vendas apenas em São Paulo ou até mesmo no Brasil. Quero poder mostrar minha marca para o mundo e alcançar outras culturas também com o meu negócio.

 

Gostou dos Planos da Adriana? A gente amou saber um pouco mais sobre a história dela. Adriana fez parte do projeto Mulheres Seguras, da Liberty e ficou entre uma das finalistas, mostrando que empreender e levar até as pessoas algo inovador vale a pena. E você, qual é o seu Plano? Conta pra gente nos comentários. 😉

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.