Funk que faz apologia ao estupro é a pior coisa pra ser ouvida hoje

Quando me falaram de uma tal música de um tal Mc Diguinho que tava rolando por aí e fazia apologia ao estupro, só pensei “não… não pode ser possível que alguém tenha feito isso em pleno 2018, em meio a todas as lutas das mulheres contra o abuso”… mas sim, mores… era verdade.

Confesso que senti meu coração acelerar quando coloquei pra tocar no YouTube a música “Surubinha de Leve”, que já começa com um  “Pode vim sem dinheiro, mas traz uma piranha, aí!”, mas espera, o que começou ruim, só vai ficando pior… o refrão da música é de chorar… de raiva:

TACA A BEBIDA, DEPOIS TACA A PICA E ABANDONA NA RUA

Difícil até explicar o sentimento ao ouvir um absurdo desses. O pior é que a música ainda estava sendo considerada como possível hit do carnaval 2018. Não, gente, para tudo, né?

A gente tem aí uma música que faz uma clara apologia ao estupro coletivo, o mínimo que a gente tem que fazer é proibir que ela continue sendo compartilhada. Isso tem que parar!

Violência sexual não é brincadeira. Ninguém, absolutamente ninguém, tem o direito de forçar o sexo. Sugerir embebedar uma mulher pra transar com ela e depois jogá-la na rua, é crime!

Fico ainda mais preocupada ao ver que a música está na lista das 50 mais tocadas no Brasil do Spotify, tocando diariamente mais de 194 mil vezes. Tem alguma coisa muito errada. Mas muito errada mesmo!

 

 

Falamos há muito tempo sobre violência sexual, sobre o erro de querer fazer algo contra a vontade de uma mulher, como isso se caracteriza crime, que quando uma mulher diz não é não, que embebedar uma mulher pra transar com ela é estupro, que devemos ser impiedosos pra acabar com esse tipo de violência… enfim, estamos sempre alertas e lutando pra que isso acabe e de repente me pego vendo que “taca bebida, depois taca a pica e abandona na rua” é uma das músicas mais ouvidas do Brasil. É de sentar e chorar!

 

#eumereçorespeito

 

Vamos denunciar a música! Vamos fazer com que ele pare de ser tocada e punir os responsáveis por esta violência. No Spotify, é só clicar com o botão direito ao lado do título da música ou do cantor e clicar na opção denunciar.

 

 

Vamos nos mexer e mostrar que isto fere o direito das mulheres, isto fere quem já sofreu um abuso e que isso NUNCA deve ser exaltado, mas penalizado como crime. Chega!

 

Kelly Sá

Amante da arte, das palavras. Adora crianças, cachorros e gatos. Formada em Letras, adora trabalhar com conteúdo, fazendo das palavras o seu brinquedo preferido.