Ela tem um Plano: Inspirar e impactar pessoas de forma positiva

Toda semana o Plano Feminino trará histórias de mulheres incríveis que farão parte do Social Media Week compartilhando suas histórias e seus Planos. Helen Monte é empreendedora na Casa Eventos Empresariais, professora, consultora de marketing e negócios e colunista no blog Criando o Meu Negócio. Ela vai contar um pouco sobre o seu projeto A Casa de Portas Abertas, um projeto que tem como objetivo estreitar o relacionamento entre clientes,  fornecedores, vendas, mindset e eventos. 

“Aprendi nestes cinco anos que o que faz uma pessoa ser bem sucedida e reconhecida em seu campo de atuação não é a faculdade que ela estudou (se estudou), não é onde ela mora, como anda ou o que ela veste, mas o quanto ela inspira outras pessoas a fazer o seu melhor.”

casa-eventos-empresariais

Conta pra gente sobre sua trajetória pessoal e profissional até aqui.
Fiz faculdade de turismo no Instituto Federal de Pernambuco e lá tomei duas decisões importantíssimas para o nicho de mercado que atuo hoje. A primeira foi a de não desistir no primeiro períodoUma renomada professora do curso nos deu a “informação” de que não havia espaço no mercado de trabalho e que provavelmente nos tornaríamos “ratos de hotel” – isso mesmo! Obviamente alguns desistiram, outros continuaram apenas para ter um curso superior no currículo. Eu particularmente fiquei bastante intrigada porque eu havia passado três anos estudando para tentar uma vaga em uma faculdade pública.

Decidi fazer aquela faculdade do meu jeito! Aproveitei TODAS as OPORTUNIDADES que surgiram lá dentro, até de mesmo estando no primeiro período participar da seleção de um grupo de alunos que foram representar o nosso campus em um evento nacional dos Institutos Federais do Brasil, em Brasília.

No penúltimo período, pagamos a disciplina de Organização de Eventos, que tinha por regra, que todas as turmas deveriam realizar um evento acadêmico para obter a nota principal. Fizemos um evento fora do padrão, até desfile de moda praia conseguimos colocar no projeto, de forma que um dos patrocinadores do evento decidiu contratar a turma pra organizar uns eventos da empresa. Dos 30 alunos montamos uma equipe de 7 pessoas que assumiu este compromisso, e esta foi a segunda decisão, porque no meu caso eu abri mão de um intercâmbio na Argentina para apostar nesta ideia de empresa.

Desta aposta nasceu a Casa Eventos e hoje dos 7 integrantes inicias permanecem dois (Eu e minha sócia Erica Santana). Contamos com a precisão do João Lima que era Gestor financeiro deste nosso primeiro cliente/investidor. Passamos por várias fases desafiadoras que todo empreendedor enfrenta e neste ano de 2016 estamos comemorando cinco anos de empresa.

Na Casa trabalho diretamente com marketing, vendas e relacionamento com clientes, então fiz especialização em Administração de Marketing pela Universidade de Pernambuco. A minha experiência na Casa gerou a oportunidade de mentorar no projeto curitibano Aliança Empreendedora, palestrar em algumas faculdades e de fato entrar nas salas de aula com sangue nos olhos para inspirar as pessoas a fazer do mundo um lugar melhor de se viver e confesso que não me vejo sem cumprir este propósito.

 

Qual sua percepção sobre o mercado que atua? Como as mulheres estão inseridas nele?
É um verdadeiro clube da Luluzinha! Temos muitas mulheres atuando como organizadoras de eventos, porque são derivadas dos cursos de Etiqueta e de Cerimonial que boa parte da classe A e B brasileira investiu entre os anos 80 e 90. Com o início da Era Digital e o incentivo ao empreendedorismo, a disseminação de conteúdo informativo deu poder de forma democrática a todos, homens e mulheres, jovens e velhos. Os homens começaram a ser inseridos no mercado de forma mais agressiva também por conta da entrada da automação nos serviços de eventos. Ainda assim, temos uma maioria feminina na área estratégica do mercado de eventos. Já na consultoria de Marketing, identifico um mercado bastante mesclado, as faculdades são diversificadas e o reconhecimento é mais meritocrata.


Conte sobre o tema que você levará para o palco do SMWSP.
Nestes cinco anos de empresa, aprendemos muito mais sobre relacionamento com fornecedores do que qualquer outra coisa. Infelizmente, ainda temos uma dificuldade grande de encontrar fornecedores que pensem de forma inovadora e com foco em gerar um resultado positivo para o cliente. Então, criamos um projeto chamado A Casa de Portas Abertas,  no qual osso fornecedor tem um espaço para se relacionar conosco, nos apresentar suas novidades, criar projetos e juntos fortalecermos o mercado.

Então, participar do SMWSP 2016 será exatamente expandir o projeto A Casa de Portas Abertas para uma escala nacional e até mundial. Vou explicar para os profissionais de Midias Sociais como agir e vender os serviços deles para profissionais que atuam no meu mercado. Então vamos falar sobre eventos, vendas e mindset do organizador.


Qual seu plano e qual a dica para as mulheres ocuparem seus espaços por direito?
Aprendi que o que faz uma pessoa ser bem sucedida e reconhecida em seu campo de atuação não é a faculdade que ela estudou (se estudou), não é onde ela mora, como anda ou o que ela veste, mas o quanto ela inspira outras pessoas a fazer o seu melhor. O quanto ela é admirada por uma unica pessoa que seja. A vida não é uma peça de teatro, onde nós devemos ter os aplausos de uma plateia (muitas vezes gigante) para garantir que a apresentação foi um sucesso. A nossa plateia muitas vezes é de um só.

O segredo do sucesso está em conseguir promover o bem para o próximo e inspirá-lo a cumprir e até mesmo descobrir o seu propósito de vida independentemente de conhecê-lo ou não. A desigualdade entre homem e mulher ainda não é a mais intrigante, mas o que realmente intriga é uma desigualdade entre o ser humano que marca uma geração e aquele que passa despercebido. E eu não estou falando de fama, porque se uma pessoa cumprimenta com carinho e atenção a uma criança que cruza na rua diariamente e isso impacta a vida dela, esta pessoa está, com certeza, impactando toda uma geração que vem após a criança. Para ocuparmos o nosso “lugar ao sol” temos que impactar e marcar de forma positiva a vida das pessoas que se relacionam com determinado mercado. Inspirar e impactar, este é o meu plano.

Aqui você pode se cadastrar para ir assistir a palestra da Helen: 

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.