O que você pode fazer pela igualdade de gênero na infância?

É a partir desse questionamento que a ong Plan International Brasil pretende efetivamente ajudar a sociedade brasileira para mudar os pequenos hábitos cotidianos que levam ao machismo institucional.

Toda essa diferença e dificuldade da mulher para conquistar seu lugar de direito começa na infância, na maioria das vezes dentro de casa.

A iniciativa #Desafio da Igualdade disponibiliza materiais de apoio que vão sensibilizar, inspirar e apoiar pais, familiares e professores a encarar esse desafio de uma forma mais simples em sua rotina. São vídeos, documentários e webséries que podem ser baixados gratuitamente e utilizados, inclusive, como proposta de atividades em sala de aula.

Afinal essa realidade só será mudada quando a nossa sociedade começar efetivamente a agir e a questionar seus hábitos, mudar o comportamento e começar desde cedo a educar as crianças para a igualdade de gênero.

E os dados confirmam que essa desigualdade de tratamento iniciada na infância gera impactos por toda a vida dessas meninas que depois se tornam mulheres.

No mundo há 110 milhões de crianças que não vão à escola, sendo que destes, 2/3 são meninas. No Brasil, 19% dos nascidos vivos é filho de uma menina entre 14 e 19 anos.

E a participação das mulheres na vida política também é quase imperceptível. As mulheres ocupam menos de 10% dos cargos públicos no Brasil, ou seja, a política continua sendo um lugar para homens.

“O machismo é reforçado todos os dias por cada um de nós, mesmo inconscientemente. Os meninos não podem fazer atividades domésticas, as meninas não podem brincar de bola. Com essa iniciativa, estamos propondo à sociedade a quebra desse estereótipo, e que comece dentro de nossas casas, nas salas de aulas, nos espaços de convivência, etc. Precisamos criar ambientes com direitos e oportunidades iguais para todos, meninos e meninas”, diz Anette Trompeter, diretora nacional da Plan International Brasil.

Liliane Ferrari

Jornalista, consultora e professora de Mídias Sociais do UOL, Escola Cuca, Ecommerce School, Quero Ser Social Mídia, Plugcitarios, e eduK. Apontada como uma das 10 mulheres mais influentes da internet brasileira pelo iG. Com passagem por empresas como Petiscos, LiveAd, Editora Trip, Editora Alto Astral, TV Globo, Time4Fun, C&A, O Boticário, Colgate, Santander, Facebook, entre outras.