Projeto desperta desejo e dá protagonismo às meninas e mulheres na Bahia

Angelas, Lúcias, Marias, Jacieles, Stephanies… meninas e mulheres que nasceram sem privilégios e encontraram no Projeto Axé uma oportunidade de realizar seus planos e serem protagonistas de suas histórias.

Há 27 anos, o projeto que tem em sua essência a “Pedagogia do Desejo” vem despertando e dando voz e vez às mulheres e jovens de Camaçari – BA.

 

 

 

Quando a pessoa não tem condições nem para pegar um transporte público e usufruir de um curso gratuito. Quando não tem uma alimentação que dê energia para sua caminhada. Quando não acredita mais em seus desejos e que é capaz, nos fazemos presentes e damos à estas pessoas dignidade e incentivo para que voltem a sonhar e a desejar.

 

Proporcionamos no projeto condições para que estas pessoas sejam protagonistas de suas histórias e percebam o valor da união por meio de nossas atividades e cursos que as integram à sociedade como cidadãs”, afirma Marcos Cândido, um dos idealizadores do Projeto.

 

O Projeto Axé, apoiado pela mondadora Ford Brasil, articula a sociedade civil, o poder público e o setor privado, permitindo o desenvolvimento sustentável de vidas humanas, além do aprendizado em áreas como arte, beleza e meio ambiente. Já são mais de 22 mil crianças atendidas e 1.600 famílias apoiadas anualmente.

 


Angela Maria, mãe de quatro, trançadeira, após conhecer o projeto saiu das ruas com os filhos e tem uma renda e profissão – costureira.

 

“O projeto me tirou das ruas e me deu oportunidade. Não tinha estudo e nem condições de nada. Quando a gente está nesta situação não tem ninguém para ajudar e vi no AXÉ uma família para mim e meus filhos que também participam”, diz Angela.

 

Angela faz parte do time de costureiras do projeto, que utiliza fardas industriais de empregados da mondadora Ford – apoiadora do projeto – para confeccionar mochilas. São 10 mil entregues todos os anos às crianças da rede pública de ensino e produzidas por cerca de 40 mães, que como a Angela estão em processo de construção social e passam a receber com esta confecção, capacitação profissional e bolsa-auxílio para alimentação e deslocamento até a ONG.

Elas se reúnem e em meio a risadas e sorrisos cantam cantigas, como de Ivone Lara, enquanto selecionam as peças de tecido para a confecção das mochilas, numa alegria que contagia e evoca um futuro melhor:

 

“Eu vim de lá, eu vim de lá pequenininho
Mas eu vim de lá pequenininho
Alguém me avisou
Pra pisar nesse chão devagarinho
Alguém me avisou
Pra pisar nesse chão devagarinho…
Foram me chamar
Eu estou aqui, o que é que há…”

 

UM IMPULSO PARA A VIDA

Marlene, 53, estava com depressão e se motivou com o projeto: “Eu não via mais razão de viver e isso foi ficando cada vez mais difícil para mim. Quando conheci o projeto percebi que haviam outras mulheres como eu, mas que buscavam sair do fundo do poço e me agarrei à elas e ao projeto. Hoje, um ano depois, aprendi muito e sou grata por isso. Faço no projeto curso de estamparia, pintura, modelagem e estou me aperfeiçoando cada vez mais”.

 

Lessa Gonçalves, 67 anos
“Descobri minha fortaleza reunida com as mulheres do Projeto Axé e nunca mais pensei em besteira. Pensei em não ter valor, por exemplo. Muito pelo contrário, depois de me juntar ao projeto eu me tornei uma mulher muito mais corajosa e otimista.”

MENINXS EMPODERADXS

Os jovens do projeto têm aulas de moda, dança, canto, estilo, costura, desenho, bordado, autoestima e outras disciplinas que os capacita a desejar um futuro de planos realizados.

Stephanie da Cruz, 17
“Minha tia dava aula aqui e me trouxe pra cá. Aqui é uma família, uma casa que apoia a gente. Aprendi a tocar e a cantar. Aprendi a gostar de mim e me valorizar aqui. A gente aprende coisas que nem sabia que existia. Aprende que pode chegar aonde a gente quiser.”

Cleisiane Lopes, 15 anos
“Eu nem sei o que seria de mim se não fosse este projeto. Eu aqui fiz amigos e me fortaleci para conquistar um futuro melhor.”

ALGUNS FRUTOS DA PEDAGOGIA DO DESEJO

 

Da esquerda para a direita Laisa, Jaciane, Jean e Naiane.

 

Jean, 18 anos
“Quero ser estilista e viajar o mundo mostrando tudo o que aprendo aqui.”

Laisa, 13 anos
“Costurar é minha vida”

Jaciane, 13 anos
“Quero ser modelo”

Naiane, 15 anos
“Meu sonho é ser bombeira”

 

http://centroprojetoaxe.blogspot.com.br/

Viviane Duarte

Fundadora

Jornalista e Fundadora do Plano Feminino. Sua paixão está em criar estratégias que inspirem e gerem conexões com propósito por meio de conteúdos e projetos especiais que promovam a igualdade de gênero e o empoderamento feminino na publicidade e sobretudo, na sociedade.