Taylor Swift vence processo contra abuso sexual

A vitória não só da cantora, mas de todas as mulheres. Há 4 anos, em 2013, a cantora Taylor Swift foi vítima de assédio em um de seus shows. David Muller, o acusado, é um DJ, que compareceu ao evento de meet and great, no qual fãs podem conhecer seus ídolos de perto e tirar uma foto com eles. No momento da foto, o DJ colocou a mão por baixo da saia de Taylor e apertou a bunda dela. Simples assim. A cantora chamou os seguranças, que o tiraram do evento e, aparentemente, o assunto morria ali.

 

 

Mas, ele não ficou tão impune quanto parecia. Afinal, para ele é normal sair apertando bunda de mulheres por aí. Porém, como o ocorrido teve grande repercussão na época, David acabou sendo demitido da rádio em que trabalhava e achou que tinha direito de pedir uma indenização da cantora por prejudicar a vida profissional dele. O DJ pediu no processo 3 milhões de dólares pela perda do emprego e por ter sua reputação abalada. Que dó, não?

Bem, diante disso, Taylor decidiu não ficar calada e processou David Muller por abuso sexual. O processo aberto por David foi arquivado por falta de provas e a ação movida por Taylor Swift finalmente teve um desfecho: ela venceu!

O melhor disso tudo é que a cantora pediu uma indenização simbólica de 1 dólar e isso pode significar muito, porque mostra que ela brigava não pelo dinheiro, mas sim pela justiça não só em nome dela, mas em nome de todas as mulheres que sofrem abuso.

Em um comunicado oficial, a cantora diz que tem esperança de que as vozes de mulheres comuns que sofrem violência sexual sejam ouvidas. Além disso, a cantora fará doações para instituições que ajudam vítimas de violência sexual para que elas também possam se defender na justiça. Veja a declaração dada por ela:

“Quero agradecer ao Juiz William J. Martinez e aos jurados por suas cuidadosas considerações, aos meus advogados Doug Baldridge, Danielle Foley, Jay Schaudies e Katie Wright por lutarem por mim e a qualquer pessoa que se sinta silenciada por um abuso sexual, e especialmente a qualquer pessoa que tenha oferecido apoio ao longo desses 4 anos de provação e dois anos de julgamento.

Eu reconheço o privilégio que tenho na vida, na sociedade e na capacidade de poder bancar o enorme custo de me defender em um julgamento como esse. Minha esperança é de poder ajudar aquelas cujas vozes também deveriam ser ouvidas. Por isso, farei doações em um futuro próximo para várias organizações que ajudam vítimas de abuso sexual a se defenderem.”

A vitória de Taylor também é nossa! Chega de assédio, de abuso sexual ou de qualquer outro tipo de violência contra a mulher. Vamos lutar juntas pra que isso acabe e que os culpados não fiquem impunes.

 

 

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.