Trilogia Cinquenta Tons e a Submissão Feminina

A gente não quer só comida. A gente quer comida, diversão, arte – e me permita Titãs – SEXO.  Em caixa alta, porque a gente tem prazer em fazer, ouvir e falar sobre. Sem tabus e preconceitos. As  mulheres estão se descobrindo casa vez mais e entendendo que dar prazer e sentir prazer é muito melhor do que se imaginava. Sexo Tântrico, Sexo Selvagem, Sexo Com amor, Sexo.  Um tema  presente nas rodas de bate papo das mulheres e que explorado de forma criativa por uma produtora, virou bestseller. (E agora FILME, olha só o teaser lançado pela Universal:

 

A autora da trilogia “Cinquenta Tons”, E L James  disse em uma entrevista que suas histórias fazem sucesso porque misturam ingredientes que são apreciados pelos leitores, principalmente as mulheres: conto de fadas, preliminares, naturalidade, paixão, narração em primeira pessoa e sexo selvagem. A criadora de Anastasia Steele e Christian Grey, assume que criou um estereótipo de Christian que o faz ser tão perfeito quanto um príncipe encantado – do século XXI – bem sucedido na cama e no mundo dos negócios. Um perfil que atrai as mulheres e as instiga de alguma forma. Quando E L James escreveu a trilogia, queria apenas colocar no papel suas fantasias, que segundo ela, estavam perdidas em sua cabeça. A autora, que usou como pano de fundo o BDSM (sigla para Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo) acabou despertando e instigando homens e mulheres a repensarem seus limites entre quatro paredes. Num roteiro sexy, sem breguices textuais e acertando cada toque e passada de mão.

Na história de E L James, a mulher assume o papel de submissão ao homem e nos faz perceber que devido ao sucesso, especialmente com as mulheres, o público feminino quer sim,  independência financeira e liberdade, mas em suas fantasias sexuais ainda há espaço para o macho alfa que possa surpreendê-las de alguma forma, sem preconceitos.

Esta coisa de estar sempre em cima, de dominar o tempo todo, é desnecessária. O legal é saber ceder em algumas ocasiões dá prazer.  Agora, não me venha pedir submissão se não souber conduzir o ato e dar prazer à sua parceira. Mulheres são exigentes, então, se quiser comandar, faça direito: seja perceptivo e atento ou inevitavelmente, será comandado.

 

Viviane Duarte

Fundadora

Jornalista e Fundadora do Plano Feminino. Sua paixão está em criar estratégias que inspirem e gerem conexões com propósito por meio de conteúdos e projetos especiais que promovam a igualdade de gênero e o empoderamento feminino na publicidade e sobretudo, na sociedade.