De acordo com pesquisa de Harvard, mulheres deixam de investir em carreira por causa do marido

E todo mundo sabe que a carga continua toda em cima da mulher. As mulheres ainda são as maiores responsáveis pelos cuidados com a casa e com os filhos, diminuindo assim a responsabilidade do pai ou companheiro. Em uma pesquisa feita com 25 mil ex-alunos entre 26 a 47 anos, pela Harvard, foi constatada que a carreira é uma prioridade dos homens, especialmente os casados.

Como resultado, 60% dos homens disseram que estavam felizes com a profissão, contra 40% das mulheres. A maioria deles, cerca de 70%, afirmou que a carreira deles é mais importante do que a de suas companheiras. Por que, né? Mulheres têm casa e filhos pra cuidar.

 

 

40% das mulheres casadas não se surpreenderam com o fato de o trabalho masculino ser considerado superior aos delas, enquanto 75% dos homens revelaram que gostariam que suas companheiras eventualmente largassem suas profissões para se dedicarem a cuidar da casa. Tá bom pra você?

Sabemos que a diferença salarial acontece em grande parte do mundo, mas vamos falar do Brasil. Aqui, as mulheres continuam ganhando menos, mesmo exercendo as mesmas funções dos homens e sendo a maioria quando se trata de quem tem curso superior, de acordo com o IBGE. As mulheres somam 23,5%, e os homens, 20,7% das pessoas com formação universitária.

Não há dúvidas de que as mulheres trabalham muito mais que os homens em casa. Enquanto 89,8% das mulheres se dedicam às atividades domésticas, esta proporção era de 71,9% entre os homens. Há outros dados que também mostram que elas trabalham pelo menos o dobro deles em casa.

Por isso, quando falamos em carreira feminina, é certo que elas ainda não conseguem algumas vezes decolar porque priorizam a carreira do companheiro, ou seja, os homens ainda são culpados pela tão vagarosa evolução das mulheres na carreira, resultado do patriarcado ainda tão forte na nossa sociedade.

Claro que não dá pra generalizar, há, sim os pontos fora da curva, mas isso acontece com a maioria. E é fato, os números citados aí acima comprovam isso. É necessário que as mulheres estejam à frente de suas vidas, suas carreiras, que as responsabilidades sejam divididas, que homens e mulheres tenham a oportunidade de escolher, de forma igualitária, como e quando investirem em suas carreiras.

Enquanto houver quem pense que lugar de mulher é em casa cuidando dos filhos e do lar, fica difícil fazer essa realidade mudar. Se esta realmente for uma opção dela, se a mulher prefere ficar em casa, claro que não há problemas, afinal, lugar de mulher é onde ela quiser, mas que isso não seja o fator determinante para que ela abandone seus planos e sua carreira, porque ela pode desejar e conquistar sua ascensão profissional tanto quanto qualquer homem.

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.