Em busca do amor verdadeiro

 

Quem não quer um? Mesmo tentando fugir da resposta, disfarçando ou mentindo que não “pensa nisso agora” a resposta sempre será a mesma em qualquer lugar do mundo: Eu quero!

No fundo, todos nós esperamos encontrar alguém para compartilhar a vida, programar viagens, contar como foi o dia, comemorar conquistas ou ter aquele abraço protetor na hora da derrota. Buscamos um amor que seja sincero, fácil de lidar, que aconteça naturalmente e que não nos faça sofrer, mas na maioria das vezes somos obrigados a lidar com tantas decepções que preferimos não arriscar e deixar essa busca para mais tarde. “Não arrisco, mas também não sofro” – quantas vezes ouvi isso, quantas vezes eu disse isso – e acabamos adiando por mais um tempo a possibilidade de encontrar alguém.

Eu devo confessar que não sou a seguidora mais fiel do amor e que na minha balança o medo e a insegurança pesam muito mais que a motivação para uma nova tentativa, mas participar de histórias bonitas que acontecem a minha volta, filmes românticos com bons roteiros e campanhas publicitárias bem feitas falando de amor – ainda mais agora com o Valentine’s Day chegando – me sinto mais tocada e talvez um pouco mais disposta a tentar mais uma vez.  Esperar que todos estejam acompanhados no dia dos namorados, é o sonho de qualquer loja de flores, jóias ou presentes, e se for para todos ficarem felizes qual é o problema? 

E o motivo desta minha crise romântica repentina foi justamente a nova campanha da Tiffany & Co, que criou um hotsite, What Makes Love True, especialmente para falar de amor. É claro que as jóias desenvolvidas para essa data estão presentes no site, mas com um layout apaixonante ele fala de histórias de amor, roteiros românticos em NY e uma galeria de imagens que retratam o amor verdadeiro da forma mais pura que existe – sem pose e no seu cotidiano. 

 

 

As imagens me deixaram mais propensa a refletir e pensar em tentar mais uma vez e espero que, assim como eu, milhões de pessoas façam o mesmo e o mundo possa celebrar todos os tipos de amor, da forma mais bonita que existe – a verdadeira.