Mais uma mulher ganha o Nobel de Literatura, agora a bielorussa Svetlana Alexievich

Pela 14ª vez uma mulher recebe o Prêmio Nobel de Literatura, sendo que pela primeira vez é uma russa após o fim da União Soviética.

A jornalista e escritora bielorussa Svetlana Alexievich, 67 anos, passava roupa em sua casa quando recebeu a notícia. Segundo anunciou a anunciou a Academia Sueca, a escolhe se deve a sua “obra polifônica, memorial do sofrimento e da coragem em nossa época”.

1528160

Filha de dois professores, estudou jornalismo na Universidade de Minsk e trabalhou em diferentes cidades e seus jornais locais.

“A face pouco feminina da guerra” foi o seu primeiro livro, publicado em 1985. Aborda a Segunda Guerra Mundial, mas sob a visão das mulheres. Expôs essa grande tragédia através de entreivstas de russas e deu um rosto feminino ao caos da época.

Sua obra segue o estilo crônica e aborda histórias reais de soviéticos e pós-soviéticos. Esteve presente escrevendo narrativas dos momentos mais dramáticos da história do seu país, como a Guerra do Afeganistão, a queda da União Soviética e o desastre de Chernobyl.

TWN02 TAIPEI (TAIWÁN) 08/10/2015.- Dos copias de la edición china de la obra "Voces de Chernóbil" de la bielorrusa Svetlana Alexievitch son expuestas en una biblioteca en Taipei (Taiwán) hoy, 8 de octubre de 2015. La bielorrusa Svetlana Alexiévich es la premio Nobel de Literatura de 20015, informó hoy la Academia Sueca, que explicó que el galardón se le otorga por su obra polifónica que le hace un monumento al sufrimiento y al coraje en nuestro tiempo. EFE/David Chang TAIWÁN LITERATURA NOBEL

Que inclusive foi um de seus trabalho mais conhecidos, “Vozes de Chernobil”, que relata o mundo depois do desastre e como as pessoas se adaptaram depois da catástrofe nuclear.

Por causa de seu trabalho, teve que se mudar e em 2000 passou a viver em Paris, retornando para seu país natal apenas em 2011.

Apesar de ter traduções em mais de 40 países, suas obras ainda não chegram ao Brasil.

Assista ao vídeo do anúncio oficial:

Conheça um pouco mais também das outras 13 vencedoras dessa grande honraria literária:

1. Selma Lagerlöf (1858-1940)

Foi a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel da Literatura, em 1909. Entre os seus livros traduzidos para o português estão o infanto-juvenil “A Maravilhosa Viagem de Nils Holgersson através da Suécia” (1906) e “De Saga em Saga” (1908).

01_lagerlof

2. Grazia Deledda (1871-1936)

 

A italiana levou o prêmio em 1926 pelas suas obras que tratam os sentimentos do pecado e das fatalidades da vida. No Brasil, podem ser encontradas edições das obras Caniços ao Vento (1913) e Cosima (1937).

02_deledda

3. Sigrid Undse (1882-1949)

Nascida na Dinamarca, mas criada na Noruega, ela ganhou o Nobel em 1928. Ficou famosa pela trilogia Kristin Lavransdatter (1920-1922, sem edição brasileira), um romance medieval.

03_undset

4. Pearl Buck (1892-1973)

Embora seja estaduninense, a vencedora de 1930 é conhecida também por seu nome chinês, Sai Zhen Zhu. Escreveu “A Boa Terra” (1931), best-seller pelo qual recebeu o Prêmio Pulitzer. Uma defensora dos direitos das mulheres e de grupos minoritários.

04_buck

5. Gabriela Mistral (1889-1957)

Gabriela Mistral era o pseudônimo de Lucila Godoy Alcayaga, poeta, educadora e feminista chilena que se tornou a primeira e única representante da América Latina a receber o prêmio Nobel de Literatura, em 1945.

05_mistral

6. Nelly Sachs (1891-1970)

Foi com a ajuda da também escritora e vencedora do Nobel, Selma Lagrlörf, que Nelly conseguiu fugir do nazismo para a Suécia em 1940. A ganahdora de 1966, passou vários anos em uma instituição mental. Mas, durante esse tempo, nunca parou de escrever e sua obra fez com que fosse considerada uma importante porta-voz da tristeza e anseios dos companheiros judeus.

06_sachs

7. Nadine Gordimer (1923-)

 

Ativista contra a desigualdade racial e econômica na África do Sul, ganhou em 1991 tratando particularmente o apartheid em “O Pessoal de July” (1982).

07_gordimer

8. Toni Morrison (1931-)

Nascida Chloe Ardelia Wofford, Toni Morrison é conhecida por seus romances de mulheres negras nos Estados Unidos. Reconhecida por obras como “O olho mais azul” (1970) e “Amada” (1987). Além do Nobel em 1993, ganhou um National Book Award, um National Book Critics Circle Award e um Prêmio Pulitzer de ficção.

08_morrison

9. Wislawa Szymborska (1923-2012)

 

Premiada em 1996 por suas poesias, ela é dona de um conjunto de trabalhos relativamente reduzido, com menos de 350 poemas. Antes de falecer disse que tinha poucos trabalhos porque tinha lata de lixo em sua casa.

09_szymborska

10. Elfriede Jelinek (1946-)

 

A austríaca começou a escrever como parte de sua terapia para superar uma infância difícil. Sua primeira obra, a coletânea Lisas Shatten, foi publicada em 1967 e, em 2004, recebeu o Nobel. Seus alvos são a sociedade capitalista de consumo e a mercantilização de todos os seres humanos e as relações.

10_jelinek

11. Doris Lessing (1919-)

 

Doris Lessing, da Pérsia/Irã, é a pessoa mais velha a receber o Nobel da Literatura, aos 88 anos. Publicou seu primeiro romance, aos 1949, “A Canção da Relva” (1950) e o inovador “O Carnê Dourado” (1962).

11_lessing

12. Herta Müller (1953-)

 

A romena Herta Müller é conhecida por suas obras que retratam os efeitos da violência, da crueldade e do terror. Entre os livros da autora disponíveis em português, estão O Compromisso e Tudo o que Tenho Levo Comigo. Ganhou o Nobel em 2009.

12_muller

13. Alice Munro (1931-)

 

Foi a primeira vez que a academia sueca premiou um autor que escreve apenas contos. A canadense Alice Munro foi responsável por revolucionar a arquitetura do gênero, com quebras temporais e experimentações. No Brasil, Alice Munro tem, atualmente, quatro livros publicados, as coletâneas de histórias curtas Ódio, Amizade, Namoro, Amor, Casamento, A Fugitiva, Felicidade Demais e O Amor de uma Boa Mulher.

13_munro

Ana Victorazzi

Jornalista

Apaixonada por café, cor laranja e animais. Formada em jornalismo e mãe de dois gatos, acredita na bondade das pessoas.