Para, Nóia!

Sabe quando a gente começa a procurar cabelo em ovo? Quando a gente cisma com alguma coisa – qualquer coisa – e começa a futricar no celular do ser amado em busca de provas de coisas que sequer podem ter acontecido? Parece que quando somos machucadas por algum canalha em nossa vida nem pensamos direito e saímos achando que nosso digníssimo talvez possa aprontar com a gente da mesma forma que o cretino de outrora fez? 

Pois é, quando alguém fala que estamos com ciúme, sempre damos a desculpa da precaução, mas vou te dizer uma coisa: a linha entre a precaução e a paranóia pode ser um tanto tênue. Cuidado para não invadir demais a vida do seu amor, afinal, todo mundo tem direito à individualidade e isso pode ser – e muitas vezes é – o diferencial num relacionamento. 

Imagine que chato não deve ser se relacionar com uma pessoa que não te acrescente em nada, uma pessoa que fique 24 horas por dia do seu lado falando sempre as mesmas coisas, fazendo sempre as mesmas coisas. No começo pode até ser legal, mas uma hora vai cansar amiga. Pode ter certeza disso. 

Lembre-se sempre: ser interessante é tão importante quanto ter uma pessoa interessante ao teu lado. Portanto, deixe seu amor preservar a individualidade dele. Ele não vai te amar menos porque bebeu umas cervejas com os amigos!

Eu sempre acho que é melhor confiar do que ficar presa numa paranóia em que ele pode estar aprontando por aí. Não é porque você já se envolveu com um cretino que todos os homens vão te machucar também! E esse negócio de ficar comparando as pessoas não é justo nem com você e, muito menos, com ele. 

Porque o amor exige, acima de tudo, coragem. Portanto, se joga! O que pode acontecer? Você pode ser muito feliz!

E aí? Você prefere um copo meio cheio ou meio vazio?!

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.