Priscila Sabará tem um Plano: transformar a Foodpass em um negócio global

A Priscila Sabará é uma mulher que gosta de inovar. Sabe do tipo que não consegue ficar parada até encontrar algo que realmente a satisfaça e a deixe feliz e que seja algo diferente de tudo o que já foi feito? Pois essa é a Priscila. Formada em Nutrição pela USP, ela conta que foi bulímica na adolescência e a questão alimentar pra ela sempre foi complexa e por querer entender as relações que a alimentação tem em nossa vida foi que ela decidiu pelo curso de Nutrição.

Além da graduação, Priscila queria ampliar ainda mais seu olhar sobre a questão dos alimentos e fez pós em comunicação para posicionar a alimentação como forma de linguagem e conexão entre as pessoas.

Começou a carreira trabalhando em uma empresa de alimentos, quando estava no 2º ano da faculdade onde fazia teste de produtos e alimentos, criava recheios para produtos da Sadia e desenvolvia produtos.

Depois de um ano foi trabalhar na Mesa 3, patisserie da chef Ana Soares, onde aprendeu a trabalhar com massas, molhos, além de oferecer consultoria para empresas de gastronomia. “Fiquei lá por 4 anos e aprendi muito. Consegui entender todo o processo criativo da criação de um restaurante, a alimentação como forma de linguagem, o que queria proporcionar com determinados pratos, foi uma verdadeira escola pra mim.”

De lá Priscila só saiu em 2008, quando estava se formando e foi trabalhar com o crítico Josimar Melo na Folha de São Paulo, onde ficou por 3 anos e durante esse período também trabalhou em um importante evento de gastronomia chamado Jantar do Século, que foi muito importante para ela como profissional: “Foi impactante, entendi que gastronomia tinha um mercado novo voltado para o entretenimento, que envolvia patrocínio e parcerias com marcas e eu simplesmente amei esse universo”.

 

 

Depois desta experiência, Priscila foi fazer pós em comunicação e em 2010 trabalhou na Anexo Comunicação, onde atuou como coordenadora com foco no mercado de alimentação, passou a gerente de marketing de uma indústria orgânica de chocolate e ajudou a trazer para o Brasil o maior evento mundial de chocolate, o Salon di Chocolat, que era focado em entretenimento e foi com esse trabalho que ela se inspirou e decidiu partir para empreender sozinha no ramo do entretenimento alimentício e criou a Foodpass.

“Eu comecei fazendo eventos em casa, onde eu organizava festas com amigos e trazia conceitos inusitados onde a comida era o centro de tudo. Foi fazendo isso que senti falta de uma plataforma que proporcionasse esse tipo de experiência e criei a Foodpass em outubro de 2012. Entendi que havia outros projetos no mercado de entretenimento gastronômico e os convidei para vender na minha plataforma. Hoje, as marcas colocam seus eventos relacionados à gastronomia na plataforma e eu aprovo para que sejam divulgados pelo site. Tem sido incrível porque vejo cada vez mais a Foodpass crescer por ser algo inovador. Encontrei um nicho que não estava desenvolvido no Brasil, fui pioneira em lançar e consolidar o mercado de gastronomia criativa.”

O mercado de gastronomia cresceu muito nos últimos 10 anos, a alimentação saiu dos restaurantes, foi pra rua, para as galerias de arte e com esse crescimento a Foodpass é uma plataforma inteligente. Se posiciona como entretenimento gastronômico, vende tickets para experiências relacionadas à gastronomia. “Hoje temos alguns grandes clientes como Veja Comer e Beber, Paladar, entre outros. Vendemos tickets para escolas e pessoas físicas para viverem experiências em grandes restaurantes como Eataly, Capim Santo entre outros, e também atuamos com projetos independentes e estabelecimentos, que precisam fazer um evento ou ação de marketing.”

Recentemente Priscila inscreveu a Foodpass para participar de um programa de aceleração de negócios com foco em mulheres empreendedoras. Ela diz que a experiência tem sido única porque as mentorias têm feito ela olhar para o seu negócio de uma maneira diferente. “A Foodpass tem crescido muito rápido e ano passado me dei conta de que precisava de ajuda na gestão do meu negócio, foi aí que decidi participar do programa de aceleração e as mentorias me ajudar a entender melhor o meu negócio e saber de que forma atuar para ter resultados cada vez mais positivos.”

 

 

Além das dificuldades que todo empreendedor enfrenta para fazer seu negócio decolar, Priscila diz ainda que como mulher, também encara desafios para mostrar que é capaz de ocupar espaços. “Está na nossa educação, ninguém espera que a mulher ultrapasse barreiras, parece que sempre querem te colocar pra baixo.

 

Sou uma mulher negra, que trabalha com cozinha. Uso avental, sirvo pessoas, então você pode imaginar as mais duras situações pelas quais passei nesta posição. Já sofri preconceito, assédio sexual, moral. Inclusive em negociações com grandes marcas, com diretores que abusavam de seu poder para impor suas ideias, querendo te usar como fantoche.

 

Uma vez, fui a Brasilia para uma reunião, e meu cliente era composto de uma equipe apenas de homens. Eu era a única mulher falando. Foi aí que percebi que eu precisava me posicionar. Sou mulher, sou negra, sou feminista. Quero ter cada vez mais mulheres na minha equipe e fortalecer minha rede de fornecedores, dando preferência para as mulheres, para conseguirmos gerar uma economia mais forte para as mulheres e criar uma rede poderosa.”

Os Planos da Priscila são audaciosos, como ela. Ela quer conectar as pessoas por meio do alimento, sensibilizar as pessoas com a alimentação por meio do entretenimento. “Quero fazer da Foodpass uma empresa global. Com o Web Summit, que está acontecendo em Portugal, estou solidificando meu negócio para me lançar no mercado europeu agora em 2019. Vou aproveitar o evento para apresentar meu negócio para o mundo.”

A Web Summit é uma conferência de tecnologia, realizada anualmente desde 2009. O tema é centrado na tecnologia da internet e os participantes vão desde empresas da Fortune 500 até às pequenas empresas de tecnologia. Para o evento deste ano, 25 empresas brasileiras foram convidadas e a Foodpass está entre elas representando a força da mulher negra na Europa.

 

 

Às mulheres que estão fazendo Planos e querem ocupar os espaços que são seus por direito, Priscila diz que é importante sonhar grande, porque muitas vezes banalizamos nossos sonhos por medo de fracassar. “Persista, encontre pessoas confiáveis pra te orientar na vida profissional. É importante ter alguém pra te acompanhar e crescer com você.

Saiba o momento de pedir ajuda, de reconhecer e de trocar experiências. Tenha foco e disciplina. Ah, e tire um tempo pra cuidar de si mesma, encontre espaços de cura e para reequilibrar as energias, seja deixando o celular desligado por um tempo, tomando um banho de mar, se permita a ter um tempo para esfriar a cabeça.

Por último, gostaria de dizer: não tenha medo de errar. Erro é parte do aprendizado e parte do sucesso. É um passo para ficar mais perto da vitória, da conquista. Comecei a Foodpass sem nenhum plano e o que fez reverter a situação da empresa, foi justamente desenhar o meu plano e saber por onde me guiar até chegar onde eu gostaria. Ter um plano te faz pensar sobre coisas que não havia pensado antes. Você define o que ganha, o que perde, estabelece limites.”

A Priscila é girl power total! Não deixou a peteca cair mesmo com as dificuldades que enfrentou durante a vida. Ela sabia bem o que queria e o espaço que gostaria de ocupar no mundo. Agora, ela está colhendo os frutos do sucesso do seu negócio e fazendo novos planos para chegar cada vez mais longe.

E você, qual é o seu plano? Qual espaço deseja ocupar? Qual já está ocupando? Conta pra gente sua história ou de uma mulher incrível que você conheça e está fazendo acontecer por aí. Manda pra gente por e-mail no elatemumplano@planofeminino.com.br e vamos juntas mostrar mulheres poderosas que estão ocupando os espaços que são seus por direito.

Kelly Sá

Amante da arte, das palavras. Adora crianças, cachorros e gatos. Formada em Letras, adora trabalhar com conteúdo, fazendo das palavras o seu brinquedo preferido.