10 hábitos que te impedem de ficar rica

Para onde foi o meu dinheiro? Não existe pessoa que não tenha enfrentado a situação. É o choque na hora de abrir a fatura do cartão de crédito ou mesmo a carteira. Isso acontece por falta de controle financeiro, mas existem alguns hábitos que nos fazem gastar demais e nos impedem de enriquecer. Confira aqui quais são eles:

 

  1. Só usar cartão de crédito

O cartão de crédito é um meio de pagamento ótimo para quem tem controle financeiro. Se você não tem e já deixou de pagar a fatura inteira, ele pode ser uma arma na sua mão. Com juros de 422,5% ao ano, você pode ver uma dívida quintuplicar em apenas um ano. Quando passamos o cartão, não sentimos o dinheiro sair do bolso, então é muito mais fácil gastar compulsivamente. Se você não é uma pessoa controlada e organizada, melhor deixar o cartão em casa para emergências e compras planejadas.

 

  1. Parcelar todas as compras

Além dos juros cobrados, o problema das parcelas é que não conseguimos lembrar de todas. Parcelamos tudo e quando vamos ver, começamos o mês já no vermelho. O resultado é um buraco na carteira. É muito mais barato, seguro e rápido poupar para comprar à vista – e com desconto. Deixe para parcelar apenas compras mais importantes e urgentes.

 

  1. Ser a rainha das compras online

Roupas, livros, alimentos e até sapatos – é prático e o preço às vezes pode compensar, mas o frete pode pesar muito. Confira bem os custos e considere se não é mais vantajoso ir à loja pessoalmente.

 

  1. Comprar produtos de baixa qualidade

É o famoso barato que sai caro. Você comprou aquele guarda-chuva de 5 reais achando que estava fazendo um ótimo negócio, mas ele quebrou na segunda chuva? É melhor colocar na balança o custo-benefício, assim você leva para casa um produto de qualidade e não precisará ficar tendo os mesmos gastos toda hora.

 

  1. Não controlar a sua grana

Esse é o pai dos maus hábitos financeiros e eu chamo de “efeito avestruz”. Se você não sabe o que está acontecendo em suas finanças, continuará gastando sem perceber. Tenha controle sobre seu orçamento, para garantir que não gasta além da conta. Eu ensino o meu método de controle financeiro no meu curso online Vida Financeira Equilibrada, onde eu mostro como manter o controle sem sofrimento e conseguir poupar todo mês.

 

 

  1. Desmerecer os pequenos gastos do dia a dia

A manicure, uma balinha, um cafézinho no meio da tarde – eles importam, e muito! Fique de olho em todos eles pois, quando somados, eles podem causar um rombo no orçamento. Nós tendemos a pensar somente nas grandes despesas e esquecemos que os pequenos gastos, quando acumulados, têm um impacto enorme nas nossas finanças.

 

  1. Assinar serviços e não usar

Se você fica a noite inteira no Netflix, para quê continuar pagando TV a cabo? Tire um tempo para avaliar pacotes e assinaturas e, se você não estiver utilizando, corte sem dó.

 

  1. Não cozinhar

Que mania de Amélia, que nada! Os preços dos alimentos no supermercado são sempre muito mais baratos do que em restaurantes. Pedir comida em casa ou comprar alimentos congelados são as opções mais caras – e menos saudáveis – do menu. Prefira cozinhar em casa e congelar alguns pratos para a semana – assim você não precisa ter que entrar na cozinha quando chegar em casa exausta depois de um monte de reuniões.

 

  1. Abusar do pacote de dados do celular e de ligações de voz

Para que gastar demais no celular, se você consegue economizar muito usando o celular apenas no WiFi e privilegiando apps de comunicação, como o Skype e WhatsApp? Esta é uma boa forma de economizar sem precisar olhar para os gastos supérfluos – que, em geral, são muito mais doloridos de cortar.

 

  1. Desperdiçar

Comprar comida demais e jogar fora é um exemplo clássico. Isso acontece quando você vai ao supermercado sem se planejar. Uma ótima maneira é montar o cardápio da semana e fazer a lista de compras com base nele.

 

 

Carolina Ruhman Sandler

Carolina Ruhman Sandler é especialista em finanças pessoais e fundadora do Finanças Femininas, o primeiro site de empoderamento feminino através da educação financeira do Brasil. É coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva). Estudou Jornalismo na PUC-SP, Economia e Relações Internacionais no Institut d’Études Politiques de la France, em Paris, e Liderança Feminina em Wharton (Universidade da Pensilvânia). Foi eleita personalidade do ano de 2015 em finanças pessoais pelo site Dinheirama.