A internet e as redes sociais

Há alguns anos, pensávamos em internet como uma rede de computadores interligados, mas essa concepção não tem mais lugar no contexto em que vivemos. Hoje, a internet tem que ser encarada como uma enorme rede de pessoas interligadas, formando inúmeras redes sociais. A definição de rede social é, segundo a Wikipedia, uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns.

Pensando dessa maneira, podemos observar que isso não é nada novo. A primeira rede social que o ser humano participa é a sua família, e ao passar do tempo, o número de redes sociais na vida desse ser vai aumentando. Mas, se o conceito de rede social não é novo, porque está tão em evidência no nosso contexto atual? A resposta é simples: por causa das Mídias Sociais. Resumindo bastante, as Mídias Sociais são plataformas onde as pessoas podem se socializar, trocar informações, conhecimento, ideias, fotos e muito mais. Alguns exemplos mais conhecidos são: Facebook, Twitter, Orkut (mais conhecido aqui no Brasil), Flickr, Youtube, MySpace, e outras centenas (se não milhares) de outras Mídias Sociais, que muitas vezes nem chegam ao nosso conhecimento.

A Mídia Social tem um papel muito importante na nossa vida, pois ela nos proporciona a oportunidade de criarmos Redes Sociais cada vez mais amplas, podendo reunir pessoas de várias localidades que tenham um objetivo em comum.

As Mulheres nas Mídias Sociais

A presença feminina na internet não pode ser deixada de lado, afinal, as mulheres representam a maioria nas principais mídias sociais, como Facebook, MySpace, Twitter e Flickr. Em algumas delas, como o Youtube e o LinkedIn, o número de homens e mulheres são praticamente iguais, e no Digg, a maioria é de homens.

Esses números nos fazem pensar: Será que as mulheres são mais sociais? Só fazendo um estudo mais profundo para descobrirmos.

Oportunidades

Além do fato de que as mulheres são a maioria nas principais Mídias Sociais, geralmente observamos que são também mais engajadas do que os homens e consomem mais no comércio eletrônico. Segundo o E-Bit, pouco mais da metade do consumo pela internet é feito por mulheres. Elas são responsáveis por 51% das compras de produtos em lojas virtuais. Além disso, segundo um estudo da Credicard, as mulheres, quando consomem, não pensam só nelas mesmas, mas também na família. Os dados da pesquisa mostram que 46% dos cartões de crédito do Brasil pertencem a mulheres e movimentam cerca de R$32,4 bilhões em compras.

Mais interessante ainda do que esses dados é o fato de que, na maioria das vezes, as mulheres utilizam as Mídias Sociais para guiar seu consumo. Uma pesquisa feita pela empresa Sophia Mind mostra que 63% das mulheres latinas realizam pesquisas em mídias sociais antes de comprarem um produto. As internautas utilizam sites de relacionamento, como Facebook e Twitter, para trocar informações com outras pessoas ou com o perfil das empresas, buscando confiabilidade, credibilidade e melhores formas de pagamento. E os dados ainda apontam que, entre elas,

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.