Foco no trabalho, sorte no amor

Se tem uma coisa na minha vida que sempre deu certo é: quando estou feliz no trabalho, focada e orgulhosa de mim mesma só se aproximam pessoas interessantes. Quando estou em um trabalho que não me dá prazer ou expectativa de crescimento só aparece assombração. Nossa energia chama pessoas que estão no mesmo momento que a gente.

 

Não que pessoas infelizes no trabalho sejam ruins, mas a expectativa colocada em um relacionamento quando essa é sua única possibilidade de ser feliz é quase uma certeza de frustração.

Mulheres focadas no trabalho não abrem espaço em sua vida para quem não vale a pena. E amores precisam valer a pena. Amores precisam mexer com a gente ao ponto de abrirmos mão de fazer aquilo que mais amamos por alguns minutos só para tomar um café com a pessoa querida. Amores precisam preencher os cantinhos vazios.

Quando você faz o que gosta passa a gostar mais de você mesma. Como é bom admirar a nós mesmas! Como é incrível olharmos para nós como modelos do que gostamos de ser e buscar aperfeiçoar nossas habilidades. Mulheres poderosas atraem homens que entendem que não existe mais essa coisa de mulher ter que baixar a cabeça e aceitar – relações, empregos, amores, vidas – o mínimo.

Conhecer a você mesma é o primeiro passo para se fazer o que gosta. E daí para os próximos passos é um pulo. Encontrar sua vocação e investir nela é feminismo puro. Acreditar em você mesma também. Não aceitar nada menos do que maravilhoso é superfeminista! E, acima de tudo, é totalmente respeitoso com você mesma, que é o mais importante de tudo.

Se você está passando o Dia dos Namorados sozinha, foque no trabalho e invista em você. Se dê este presente.

Se está passando acompanhada, tenha certeza que esse amor merece sua dedicação, assim como você faria com o trabalho.