Acabou o carnaval

Foi embora o carnaval! Acabaram os dias de samba, de festa e animação. Aos poucos o dia volta ao normal e o trabalho também. É hora de subir a serra, desfazer as malas, guardar a fantasia e já sentir saudades olhando as fotos.

Ah o carnaval… Festa de gente maluca que passa horas pulando e correndo atrás do trio num calor infernal e de gente trabalhadora que rala o ano todo para ver sua escola desfilar alguns minutos na avenida. Não adianta tentar fugir, até que não gosta de carnaval aproveita o feriado para fazer alguma coisa. Festa, churrasco, bar, viagem… “Você vai ficar em casa no carnaval?!”

Há quem só comece o ano depois do carnaval, há quem aproveita o feriado para umas férias merecidas de um ano que já começou bombando e há quem continue trabalhando, porque apesar do que se pensa o mundo não para só porque é carnaval.

No amor, o carnaval é engraçado. Chega final de ano a gente escolhe a cor da lingerie, faz promessa para o santo e simpatia para conseguir namorado, mas se o pedido não é atendido até o mês de carnaval, deixa pra lá – vamos dar um tempo e aproveitar a festa. Se aparecer alguém especial a gente comemora, mas se não aparecer não tem problema. Ninguém espera nada e por isso não existem corações partidos no carnaval.

Carnaval é paixão, mas uma paixão que vira pó junto com a quarta-feira de cinzas. É a festa dos amores com prazo de validade, o dia seguinte. Ninguém se interessa esperando namoro e ninguém beija esperando casamento. Eu acho que deveriam considerar a festa a maior celebração do amor, pois em nenhum outro feriado se vê tantos beijos e abraços, nem no dia dos namorados e o melhor é que ninguém fica triste de estar sozinho, pelo contrário.

Carnaval é nostalgia. Lembranças dos tempos de grandes bailes, das marchinhas e fantasias. Das festas de rua, das matinês, das máscaras, plumas e confetes.

Como diria Los Hermanos… “Todo carnaval tem sem fim” e como terminou o seu?