Após 4 anos, mulher volta a ser reconhecida no prêmio Executivo de Valor

Ontem aconteceu a 16a edição do Prêmio Executivo de Valor, promovido pela Valor Econômico, reconhecendo o trabalho de 23 líderes empresarias.

Nós fomos fazer a cobertura pois, após quatro anos, uma mulher volta a ser reconhecida, reforçando o time de empresárias como Luiza Trajano (2003, 2009 e 2012), Chieko Aoki  (2002 e 2009) e Maria Silva Bastos Marques (2001 e 2002).

Cristina Palmaka (47) é pura simpatia, com um sorriso largo no rosto e esbanjando competência. É atualmente a presidente da SAP do Brasil.

Graduada em administração pela FAAP, pós-graduada e MBA na Fundação Getúlio Vargas e na University of Texas em Austin, trabalhou em empresas como Philips, Compaq/HQ e Microsoft.

Assumiu seu primeiro cargo gerencial aos 24 anos e busca ser uma líder agregadora. “Acredito mais em lideranças que compartilham do que naqueles que parecem super-heróis”, diz em entrevista ao Valor.

A executiva foi convidada para ingressar no time em um momento muito importante e delicado, quando toda a empresa passava por profundas transições, perfeito para o perfil dela, com experiência em gestão de grandes empresas de tecnologia, além de estar acostumada com jornadas longas e desafiadoras, afinal, além, de tudo, é maratonista.

Ano passado, a empresa cresceu 21% do faturamento em reais. Em termos de novos negócios, cresceu dois dígitos, o que colocou a SAP em destaque na América Latina, mesmo com a recessão do país.

Tive a honra de entrevistá-la ontem e compartilho a íntegra do meu papo com a grande vencedora da noite:

Plano Feminino: Qual foi a principal motivação para escolher a sua carreira, sua inspiração?

Cristina Palmaka: Comecei a trabalhar muito cedo, com 16 anos. Queria ter minhas coisas, ser independente. O intuito de poder fazer as coisas com minha vontade, com as minhas aspirações, e batalhar pra isso. Então o que me trouxe foi uma resiliência sem fim, muito trabalho, dedicação e acreditar naquilo que eu estava fazendo. Todos os projetos que peguei e trabalhei trouxeram benefícios para as pessoas que estavam inseridas no meio. Cada vez aprendendo mais, menos focada na posição, mais do desenvolvimento. Isso é fundamental quando você define sua carreira.

PF: Por você ser mulher, sentiu muitos obstáculos no meio empresarial?

CP: Honestamente, não posso dizer nem que fui privilegiada ou preterida por ser mulher. Acho que quando a pessoa coloca aquela ambição, aquela dedicação, a gente transpõe qualquer barreira. Eu trabalho na área da tecnologia que também tem a presença de muitos homens nesse universo, e sempre tive um bom respeito. Você tem que estar preparada para essas conversas. Preparação é fundamental para esse momento e não achar que nada vai vir fácil e simples. Mais de 34% dos trabalhadores da empresa são mulheres na empresa e mais de 25% em cargos de liderança. Isso mostra que tem empresas que estão apostando e incentivando. Eu como líder de uma empresa tenho que garantir que as mulheres tenham espaço para se desenvolver e oportunidades iguais. Esse é o caminho de cada uma perseguir.

PF: E como é ser a única mulher premiada hoje?

CP: É uma grande honra. Trabalho há 31 anos, então chegar nesse momento é um grande reconhecimento. Ainda mais por uma instituição renomada como é o Valor. Fico lisonjeada representando as mulheres aqui e espero ver muitas outras mulheres no palco. E certamente veremos!

PF: Quais seus próximos Planos?

CP: Gosto sempre de seguir aprendendo e crescendo. Tenho olhado muito para a parte de Conselhos. Mas mais importante é fazer aquilo que você acredita e poder contribuir. Enquanto eu achar que estou agregando e desenvolvendo as pessoas ao meu redor eu não vou parar nunca.

PF: Como você faz para manter o equilíbrio pessoal e profissional?

CP: Isso é muito simples de falar e muito complexo de executar. Eu sou uma pessoa muito organizada. Tenho uma família, sou casada, meu parceiro é um pilar importante para o meu sucesso, para eu estar aqui é porque ele me ajudou muito. Tenho uma filha de 10 anos também. Eu corro, faço maratonas. Então é a organização. É você conseguir se estruturar e saber o que você não vai fazer. Tem que saber priorizar o que é importante naquele momento e o que não é. Esse é o grande desafio. Ter uma agenda extremamente focada. A gente faz acontecer, tudo cabe.

PF: Qual conselho você daria para as leitoras do Plano?

CP: Trabalhe muito. Coloque um objetivo na sua frente, se prepare e corra atrás. Você sempre consegue se colocar energia e paixão em tudo aquilo que você quer conquistar. Vá em frente!

 

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.