Bullying: a brincadeira sem graça

Crianças, jovens ou adultos, a maioria das pessoas já sofreu essa violência, que vem mascarada – na maioria das vezes – como brincadeira ou piada. Apelidos “engraçados”, risadinhas, empurrões, essas agressões que vêm disfarçadas de “zoação”. As crianças e os adolescentes são os que mais sofrem com isso, mas tem como evitar?

Segundo a Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (Abrapia) a faixa etária das agressões vem diminuindo constantemente, o que é preocupante. Já são registrados casos de bullying entre crianças a partir dos 3 anos, quando a intenção no ato já pode ser observada.

Essa prática não é comum apenas em escolas. Também é observada em locais de trabalho.  E o que pode parecer apenas uma “brincadeirinha” para o agressor, para quem é alvo das piadas, chacotas e humilhações pode se tornar uma agressão psicológica, que pode traumatizar ou acarretar em diversos distúrbios.

E você já sofreu este tipo de agressão?

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.