Como vencer o obstáculo de dizer não?

O simples fato de pensar em dizer não a alguém é motivo de pânico para muitas pessoas, principalmente para nós, mulheres, já que ainda se espera uma postura mais passiva de nós.

Em minha consultoria, toda vez que aconselho algum cliente a dizer não a algo ou a alguém, é comum ver uma expressão de desespero. Se esse comportamento deve ser adotado no ambiente de trabalho, a reação é ainda pior. E quando falo isso para uma cliente, o mais comum é ouvir que será impossível dizer não.

O medo de agir dessa forma surge por diferentes razões e uma delas é porque imaginamos que o não está associado à agressividade, a dar uma resposta grosseira, virar as costas para o outro, deixar alguém falando sozinho. Isso acontece, porque é comum vermos esse tipo de reação quando damos uma resposta negativa. Mas existe uma forma de dizer não e, ao mesmo tempo, deixar nossos relacionamentos mais fortalecidos: usar o “não negociado”.

Vamos ver um exemplo: a sua agenda do dia está 100% ocupada e, levando em conta os prazos das entregas, nada pode ser adiado. Mas você recebe uma solicitação urgente, prioritária e que deve ser feita naquele dia, sem negociação. Porém, não é uma opção ficar até mais tarde no escritório, porque você tem um compromisso muito importante. Se você disser apenas um não, provavelmente será vista de forma negativa, sem contar que alguém que está desesperado (a) com uma entrega não vai aceitar um simples não como resposta. E se você disser sim, vai perder seu compromisso.

 

 

Nesse caso, você pode conversar com os responsáveis por todas as tarefas que já estavam em sua agenda e negociar prazos. Explique que a nova atividade é muito importante e urgente. Perguntar a opinião dos líderes das entregas sempre ajuda (“surgiu uma tarefa inadiável; você acha que podemos mudar o prazo do seu pedido para quando?”) – as pessoas gostam de ser consultadas e sentir que têm poder de decisão. E se puder levar o (a) dono (a) da nova solicitação com você, como “patrocinador (a)”, é ainda melhor.

Para algumas pessoas, essa atividade pode ser mais desafiadora. Por isso, recomendo que você comece esse exercício uma vez por mês e aumente a frequência dele gradativamente. Com certeza a sua rotina será mais leve e a sua habilidade de negociação irá melhorar muito.

Lygia Pontes

Relações Públicas com especialização em Administração de Empresas. É advisor e consultora em felicidade profissional e eficiência. Também é professora e palestrante em temas ligados aos três pilares fundamentais para o sucesso profissional: comportamento, comunicação e gestão Seu propósito é auxiliar pessoas a construírem relações positivas e produtivas mesmo em ambientes competitivos, como os das empresas.