Costureiras de projeto social transformam uniformes em colchas de retalhos

O Curso de Costureiras do Projeto Axé, em Camaçari (BA), chegou ao fim, e as mulheres participantes transformaram os uniformes industriais da Ford, que apoia a ONG, em uma colcha de retalhos, que possui um desenho em alusão à árvore que dá o nome à cidade. A montadora doou, ao todo, 607 camisas e 40 calças.

As costureiras continuarão aproveitando o material doado pela Ford para produzirem aventais, sacolas de praia e de mercado, porta-dólares e lixeiras para carros. A colcha e esses produtos serão apresentados na Semana Global do Empreendedor, a ser realizada em novembro, pela Prefeitura de Camaçari.

O curso contou com a participação de 15 mulheres, que se dividiram em grupos, cada um responsável pelos processos de criação, descostura, montagem e costura. As participantes aprenderam a trabalhar com desenvolvimento de produtos e marketing e também receberam uma bolsa-auxílio de R$ 910,00.

A montadora apoia o Projeto Axé e o Curso de Costureiras por meio do Ford Fund – organização sem fins lucrativos criada e mantida pela Ford desde 1949 –, com a doação do fardamento industrial que não é mais utilizado. Antes de chegar ao Projeto, todo o material passa por um processo de higienização. Em 2014, os uniformes foram convertidos em 10 mil mochilas para estudantes de Camaçari, e o mesmo compromisso já foi estabelecido neste ano.

“A parceria com o Projeto Axé tem dado muito certo porque vai além de cursos de capacitação. O programa resgata a autoestima das participantes, valoriza as identidades e reforça o desenvolvimento social e econômico da região”, afirma Adriane Rocha, gerente de Relações Corporativas e Comunicação da Ford Brasil.

A sede do Projeto Axé fica no Pelourinho, em Salvador (BA), onde outras 19 mulheres também fazem o curso, mas, diferente das participantes de Camaçari, a maioria não possui experiência com costura. Com histórias de vida difíceis, elas também recebem uma bolsa-auxílio e contam com a ajuda de um designer para dar orientações durante o processo de aprendizagem e de uma assistente social.

Não são apenas os uniformes antigos que são reaproveitados na Ford, mas também muitos outros materiais utilizados na fabricação dos veículos. Em 2014, aproximadamente 48 mil toneladas de sucata metálica, 1,2 mil de papel e papelão, 420 de plástico duro, 61 de óleo, 50 de borracha, 11 de vidro, além de 14 mil lâmpadas foram recicladas ou comercializadas pela montadora, além de outros produtos.

unnamed

Ana Victorazzi

Jornalista

Apaixonada por café, cor laranja e animais. Formada em jornalismo e mãe de dois gatos, acredita na bondade das pessoas.