E quando o amor acaba?

Sempre que a gente se reúne para tomar algumas garrafas de vinho e jogar conversa fora, pautas começam a saltar sobre a mesa. Para uma jornalista como eu, as conversas de amigas são matéria-prima – já penso em pautas. Fica até difícil concentrar na conversa. Mentira! Presto atenção em tudo, dou meus pitacos, conselhos, desabafo e claro, penso que tudo aquilo poderia render um post, dois, sei lá, um livro! É incrível como numa
mesa cheia de mulheres à base de vinho, o papo seja tão fértil.

A conversa de um destes dias de brindes e gargalhadas foi sobre o amor. Amor mesmo, não paixão. Paixão a gente já aprendeu que dura pouco mais de dois anos e depois se não virar amor, cada um que se vire – um pra cada lado, certo?
Mas com o amor é diferente, a gente se importa, cuida, sente, se derrete.

O amor, como diria o poeta: é fogo que arde sem se ver. É fogo! A gente se apega, se pega mudando de opinião, cedendo, querendo viver junto pra sempre. É assim, meio sem explicação e faz todo sentido pra quem está amando.
Mas e quando o amor acaba? É óbvio pensar que não é como num passe de mágica que isso acontece, nem sempre ambas as partes deixam de amar e vai cada um pra um lado. Então, o que fazer quando você decide acabar um relacionamento sério?
Fugir para as colinas? Não, não seria justo. Uma vez ouvi dizer:

” Você conhece a pessoa não da forma como ela entra, mas sim, como ela sai de sua vida”

Achei genial. É isso. Um relacionamento precisa terminar de forma honesta, justa. Portanto, se acabou para você, seja verdadeira e madura o suficiente com o outro. Ninguém merece ser mal amado. Uma boa conversa e coragem, acima de tudo,te ajudarão.

A gente demora para aceitar quando algo que escolhemos fazer não dá certo. É assim em todas as áreas de nossas vidas. É meio que inconsciente. Minhas amigas têm a mesma impressão que eu, dar o braço a torcer pra gente mesma é pesado, mas é preciso. E no amor não tem certo ou errado. As vezes o pra sempre acaba e alguém tem que ter coragem de tomar uma atitude. Ou ambos serão aquele casal acomodado, sem brilho e nem papo para depois do sexo ou do jantar.

Se você for a parte mal amada da história, se o amor acabou da parte dele e você já percebeu isso, não fuja, nem se contente com migalhas. A vida é muito curta para viver sem amar de verdade.

Se acabou significa que vocês terão outras histórias para viver. Então, siga em frente. Guarde os aprendizados e as coisas boas que ficaram de tudo. A vida continua e está cheia de boas novas para vocês.

Viviane Duarte

Fundadora

Jornalista e Fundadora do Plano Feminino. Sua paixão está em criar estratégias que inspirem e gerem conexões com propósito por meio de conteúdos e projetos especiais que promovam a igualdade de gênero e o empoderamento feminino na publicidade e sobretudo, na sociedade.