Ela largou o turismo para ter seu dog daycare

Há 17 anos, Raquel Hama trabalhava na área de turismo, sua formação original, e morava com dois boxers filhotes em um apartamento muito pequeno.

Como ficavam bastante tempo sozinhos e sem nenhum tipo de atividade, acabaram comendo desde os rodapés, até sofás e camas da residência, o que acabou fazendo com que ela reduzisse sua carga horária.

Ela passou a trabalhar seis horas por dia e reservou um tempo para levar os cães até o parque diariamente. Uma amiga, que engravidou, pediu para que ela levasse seu cão juntamente com os dela e, com o tempo, a notícia sobre este tipo de “trabalho” que ela realizava foi se espalhando. Muitos conhecidos e amigos solicitavam a ajuda dela.

Na época, uma novela da Globo tinha como personagem uma passeadora de cães e muita gente começou a associar a imagem da Raquel à da personagem. A mídia foi atrás dela em várias ocasiões por conta disso.

Com o tempo, e com o aumento no número de cachorros que atendia, Raquel deixou seu emprego fixo e montou seu primeiro daycare.

Os anos passaram, a demanda cresceu e hoje a Dog Resort tem aproximadamente 20 funcionários, incluindo zootecnistas, médicos veterinários e profissionais de comunicação.

about-3

Entrevistamos a Raquel e compartilhamos aqui seus Planos:

Plano Feminino: Como foi o processo entre identificar a oportunidade e tornar seu Plano real?

Raquel Hama: Fui criada no interior e sempre vivi no meio dos animais. Quando vim pra São Paulo, senti muita falta deste contado com eles e acabei levando dois boxers para um apartamento bem pequeno. Eles destruíram literalmente tudo! De sofá a rodapés. Então, percebi que se eu passei por este problema, muitas outras pessoas com cães nesta situação, compartilhavam de uma necessidade específica.

Sou formada em turismo e na época trabalhava na área. Com o tempo, passei a trabalhar meio período para poder me dedicar mais aos meus cachorros. Ia ao parque correr com eles duas vezes ao dia. Com esta rotina, alguns amigos começaram a me pedir para levar seus cães junto com os meus e acabei me vendo andando de bicicleta diariamente ao lado de uma matilha.

No parque, via muitas coisas que não faziam parte do meu mundo, como cães indisciplinados, agressivos ou com outros problemas de comportamento. Vi a necessidade de criar um espaço só para eles, adaptado e seguro e foi aí que deixei de ser passeadora para criar um dos primeiros daycares para cachorros do Brasil.

PF: Quais os maiores desafios que você encontrou para empreender? Algum desafio em especial por ser mulher?

RH: Ser empresário no Brasil é uma tarefa difícil, pois é complicado manter um negócio corretamente pagando tantos impostos sem retorno. Na área em que estou, é um pouco mais custoso, pois não existe regulamentação para os sistemas de daycare, fazendo com que haja uma concorrência bastante desleal entre os serviços disponíveis atualmente.

Não enfrentei problemas por ser mulher e nem fui questionada, mas era no mínimo curioso verem uma mulher nova e pequena controlando cerca de 20 cães sozinha no parque. Risos.

PF: Como você concilia sua vida profissional com a pessoal? O que faz por você para manter o equilíbrio, a saúde?

RH: Minha rotina é bastante corrida e muito dedicada aos animais. Para manter o equilíbrio, costumo ir pra praia, praticar esportes e fazer cursos que tenham a ver com bem-estar e saúde. Recentemente, fiz meu Mestrado em Reiki, algo que pratico diariamente. Também sigo uma dieta vegetariana e gosto muito da medicina tradicional chinesa e de tratamentos holísticos.

PF: Como você acredita que seu trabalho impacta positivamente a vida das pessoas?

RH: Com cachorros mais felizes, temos também donos mais felizes e mais satisfeito com seus animais. Desta forma, ambos vivem de maneira mais harmoniosa e mais positiva.

about-1

PF: Se pudesse dar qualquer conselho para nossas leitoras, qual seria?

RH: Nunca desistam dos seus sonhos e façam aquilo que vocês amam. Trabalhar com amor é muito melhor do que fazer o que não gosta visando apenas lucro financeiro.

PF: Tem alguma curiosidade ou história que eu não perguntei, mas gostaria de compartilhar com nossas leitoras para inspira-las ainda mais?

RH: No parque nasceu toda a minha inspiração. Via aquele espaço gigante e os cães sempre presos, na guia, sem poder brincar ou correr. Achava quase um crime! Andava de bike e corria com os meus, que tinham uma energia inesgotável!

Foi quando resolvi soltá-los junto com meia dúzia de outros cães, se tornando animais felizes!

Vê-los correndo e pulando naquele lago imundo cheio de patos foi muito bom! Risos.

Também trabalhei um tempo com um adestrador, mas sempre acreditei que a socialização bem feita resolveria muitos problemas de comportamento. Aprendemos muito mais com os animais do que com pessoas, com certeza! A chave de tudo é a observação, ver como eles interagem em matilha e adotar os comportamentos dos cães mais equilibrados.

dogresort-creche-para-cachorros-em-sao-paulo-sp-1364939655382_956x500

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.