Especial Outubro Rosa

Conheci a Vânia Castanheira num encontro do TEDX SãoPaulo e sua história é mais que inspiradora. Uma mulher que conseguiu superar um câncer e mais ainda, inspirar outras mulheres que estavam passando pelo mesmo problema a encararem a doença de frente com beleza e felicidade.

A Vânia tem 34 anos, é jornalista e se tornou coach de saúde, bem-estar e nutrição por meio de suas experiências e projeto que criou em 2013, quando descobriu o câncer de mama, o www.minhavidacomigo.com

No canal, ainda enquanto passava pelo tratamento contra o câncer de mama, ela ensinava as mulheres a se maquiarem e aumentarem a autoestima no processo de tratamento, usando acessórios como lenços para compor o visual e suprir a falta dos cabelos durante o processo de quimioterapia.

cancer-de-mama-cuidado

Ano passado ela lançou seu primeiro livro em Portugal e já está escrevendo outro para dividir suas experiências e levar garra e coragem a outras mulheres.

“ Em janeiro de 2013 e 5 meses depois do “reinício” da minha vida tinha adquirido um conhecimento que gostaria de ter tido acesso assim que descobri a doença. Tudo teria sido menos pesado. Cheguei à conclusão que os tratamentos da doença não são um bicho de 7 cabeças e que é possível ter vida enquanto se passa por este processo.

Nós precisamos assumir a responsabilidade por nossa saúde, nos cuidar. Temos a tendência de atribuirmos ao azar a culpa pelas nossas doenças, mas na verdade há muita coisa que nós podemos fazer, na maior parte dos casos, para nos mantermos saudáveis e termos mais qualidade de vida. Assim, senti uma responsabilidade de compartilhar o que estava aprendendo, do meu ponto de vista e ajudar outras mulheres”.

minhavidacomigo_reproducao

Plano Feminino: O que passa pela cabeça quando se recebe um diagnóstico como câncer de mama?

Vânia Castanheira: Será que chegou a minha hora? Não. Eu não sentia que tinha chegado a minha hora de morrer por isso, não podia deixar esse pensamento me dominar. E eu precisava cuidar muito bem da minha cabeça para que eu conseguisse lidar com tudo o que estava por vir. O meu maior medo, depois de ter a certeza que eu não ia morrer, era cuidar da minha cabeça para que eu não entrasse numa loucura ou numa depressão. Decidi que precisava alimentá-la com pensamentos positivos e acalmá-la para que pudesse enfrentar um dia de cada vez.
Plano: O que mudou antes e depois que superou a doença?

Vânia: Muita coisa, quase tudo! As minhas prioridades, não me deixar anular, as minhas vontades, os meus valores, a valorização da minha saúde e do meu bem estar. Não me tornei egocêntrica ou egoísta, apenas deixei de me anular e passei a ouvir mais o meu coração. Ele sabe o que é melhor para nós e quais as atitudes corretas. Mudei a minha alimentação. Ela é o meu remédio, é a base da minha saúde. Passei a praticar atividade física diária, entre 30 e 60minutos. Comecei a alimentar o meu lado mais espiritual e holístico. Todos os dias dedico um tempo para alimentar a minha mente e para descansar.

Respiração e meditação são essenciais nos dias de hoje. Continuo valorizando o tempo com amigos e família, mas me afastei das relações que não me nutrem. Sim, os nossos relacionamentos são a nossa fonte de alimentação primária que nutrem a nossa vida, a nossa alma. Sai do emprego em que estava e dei asas ao projeto que comecei a criar: blog, projeto social “Lenço da Solidariedade”, me formei como Coach e sou associada da Internacional Coach Federation.

Plano: Alguma história deste seu trabalho q tenha te impactado e que possa compartilhar?

Vânia: Todas de alguma forma me impactam. Seja pela resiliência, seja pelos medos superados, seja pela batalha, seu apelo, o que for. E o melhor é que todas, de alguma forma, com ajuda ou não, saíram mais fortes da doença. E uma coisa que me dá uma satisfação enorme é ajudar estas pessoas a encontrarem um sentido maior na vida delas e a encontrarem uma forma de serem mais plenas.

Plano: Qual o conselho para as mulheres de hoje sobre saúde e qualidade de vida?

Vânia: Uma coisa depende da outra para que sejamos felizes. Se você tiver saúde e não tiver qualidade de vida, uma hora perde a saúde. Se você não tem saúde, precisa da qualidade de vida para querer continuar viva. Por isso, para ter mais saúde, procure ter qualidade de vida que o resto vem atrelado. Porque estamos aqui, vivos? Como queremos viver esta jornada? Ela é tão curta, vamos aproveitar!

relaxando-cuidado-vida

A Vânia tem muitos planos e está sempre em busca de qualidade de vida, bem-estar e mudança. Uma mulher que se reinventou depois de um câncer de mama e que hoje prioriza apenas o que a faz plena. Parece difícil, mas com pequenas atitudes em nosso dia a dia atarefado, podemos mudar nosso ponto de vista e dar valor ao que realmente interessa. Nenhum plano pode ser melhor do que a gente cuidar da gente mesma e estar com saúde para realizar nossos sonhos. Então, preste atenção em como tem cuidado de você e se previna. Grandes planos estão por vir e você precisa estar plena para aproveitá-los.

Viviane Duarte

Fundadora

Jornalista e Fundadora do Plano Feminino. Sua paixão está em criar estratégias que inspirem e gerem conexões com propósito por meio de conteúdos e projetos especiais que promovam a igualdade de gênero e o empoderamento feminino na publicidade e sobretudo, na sociedade.