Eu vejo flores em você: projeto brasiliense quer que mulheres troquem cartas entre si

Você lembra a última vez que recebeu uma carta sem ser propaganda ou cobrança?

Esse é o hábito que um grupo de 35 melhores quer trazer de volta para nossas vidas.

O projeto brasiliense Eu Vejo Flores em Você quer que mulheres escrevam cartas de amor para outras mulheres, declarando sua admiração, respeito e outros sentimentos positivos.

Entre organizadoras, ilustradoras fixas e convidadas que trabalham para divulgar a ideia, receber os textos, organizá-los e coletar ilustradoras voluntárias, a ideia é empoderar as mulheres.

“O feminismo muda nosso comportamento, nosso corpo, nossa casa, nossa família… Muda todas as nossas relações. Acredito que a mudança mais profunda que ele provoca é na relação com outras mulheres. O feminismo me tornou uma pessoa melhor, menos julgadora e mais colaborativa. Estamos todas aqui, só precisamos nos comunicar mais”, conta Daniela Duarte, 22, idealizadora do projeto ao Brasil Post.

Após um momento difícil de vida que ela e um amiga passavam, ela usou algumas ilustrações e fez uma carta para apoiar sua amiga. O resultado foi tão positivo que ela achou que seria maravilhoso poder espelhar esse sentimento.

A ilustração (imagem abaixo) usada nessa primeira carta (que você pode ler aqui) é que deu origiem ao nome do projeto.

o-FLORES-EM-VOC2-900

“O projeto é uma expressão da sororidade. Nosso objetivo é que ele possa atingir muitas mulheres e uni-las pela arte e pela escrita. Queremos expor todo o afeto que existe entre nós, inclusive nos casos em que é impossível dar um abraço pessoalmente ou dizer algo difícil”, disse ao site.

Com apenas cinco meses de existência, já conta o apoio do ANIS (Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero), do Balaio Café (ponto de encontro de artistas de Brasília e de manifestações sociais), e do Instituto Sabin.

o-FLORES-PROJETO-CARTA-900

“Queremos que o projeto contribua de maneira ainda mais significativa para a sociedade, entrando em comunidades de baixa renda, presídios femininos, grupos de apoio a vítimas de violência. Queremos expandir e otimizar o projeto ao máximo e quem sabe até transformar ele em livro”, conta Daniela.

Quer participar? Acesse aqui a página oficial no Facebook e divirta-se!

 

Confira aqui algumas das cartas que já foram feitas e enviadas:

slide_421914_5403440_free slide_421914_5403442_free slide_421914_5403444_free slide_421914_5403446_free slide_421914_5403448_free slide_421914_5403450_free slide_421914_5403452_free slide_421914_5403454_free slide_421914_5403456_free slide_421914_5403484_free

Ana Victorazzi

Jornalista

Apaixonada por café, cor laranja e animais. Formada em jornalismo e mãe de dois gatos, acredita na bondade das pessoas.