Exposição Histórias Afro-Atlânticas é uma excelente opção cultural para o fim de semana

Conhecer a história da nossa cultura, dos nossos ancestrais é importante pra entender a nossa própria história, para entender o que nos levou até onde estamos e, não tem como falar disso, sem contar a história da migração dos negros, que é uma história extremamente triste, mas com uma carga cultural imensa. A Exposição Histórias Afro-Atlânticas é apresentada pelo Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp) e o Instituto Tomie Ohtake. São 450 trabalhos de 214 artistas, do século 16 ao 21, sobre os movimentos de pessoas entre a África, as Américas, o Caribe e a Europa.

Essa exposição é um desdobramento da exposição Histórias mestiças, que foi realizada em 2014, no Instituto Tomie Ohtake, por Adriano Pedrosa e Lilia Schwarcz, que também assinam a curadoria desta nova mostra, junto com Ayrson Heráclito e Hélio Menezes, curadores convidados, e Tomás Toledo, curador assistente.

 

São Paulo - Exposição Histórias afro-atlânticas no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - MASP, Avenida Paulista, região central.

“É uma exposição que mostra aspectos importantes, não só da história brasileira, mas da história de todos esses territórios atlânticos desde o sul dos Estados Unidos, passando pelo Caribe até a América do Sul, que foram territórios e países que se transformaram de forma bastante significativa a partir da vinda forçada dos africanos escravizados para este lado do atlântico. A exposição mostra o impacto das culturas africanas nessas sociedades e o impacto da presença africana nessas culturas”, diz o curador assistente Tomás Toledo.

 

A exposição

A exposição é dividida em oito temas de diferentes períodos e lugares, nas duas instituições. No Maspé possível ver os temas Mapas e Margens, Cotidianos, Ritos e Ritmos e Retratos (no primeiro andar), Modernismos afro-atlânticos (no primeiro subsolo) e Rotas e Transes: Áfricas, Jamaica e Bahia (no segundo subsolo). Já no Instituto Tomie Ohtake, estão os temas Emancipações e Resistências e ativismos.

A ideia de manter a exposição em dois espaços diferentes é abrir um leque maior de oportunidades, além da possibilidade de mostrar muito mais trabalhos para o público, tornando a história contada muito mais grandiosa e rica em detalhes.

 

São Paulo - Exposição Histórias afro-atlânticas no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - MASP, Avenida Paulista, região central.

 

Vale a pena a visita! A exposição está incrivelmente bonita, cheia de referências históricas importantes que mostram o quanto temos uma influência cultural incrível, que veio com os negros em um período tão difícil, mas que trouxe uma bagagem importante para a nossa sociedade hoje.

Serviço:

Histórias afro-atlânticas

De 29 de junho a 21 de outubro de 2018

Masp – Avenida Paulista, 1578, São Paulo, SP

Horários: terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30)

Ingressos: R$ 35 (entrada); R$ 17 (meia-entrada)

O Masp tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo.

 

Instituto Tomie Ohtake – Av. Faria Lima, 201 – Pinheiros, São Paulo

Metrô mais próximo – Estação Faria Lima / Linha 4 – Amarela

De terça à domingo, das 11h às 20h

Entrada Gratuita

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.