Festival Plano de Menina: uma celebração da menina brasileira e seu poder de transformação.

Se as feministas dessa geração já fazem esse barulho todo em diversos contextos sociais, políticos e econômicos, imagine as que virão nas próximas? E é difícil não imaginar as meninas brasileiras fazendo parte dessa revolução. Elas sabem que são as mais afetadas pelas desigualdades e violências de gênero no país e estão reagindo a elas.

Inúmeras iniciativas em nome do empoderamento de meninas brasileiras nasceram com o objetivo de atender as reivindicações delas – entre elas, o Instituto Plano de Menina, fundado pela nossa Viviane Duarte em 2016, e que faz parte também do trabalho diário do Plano Feminino.

 

“Nosso propósito com o Plano de Menina é ser uma ponte de acesso às meninas de periferias e transformar de fato suas vidas por meio da informação e conexões com mulheres inspiradoras e oportunidades no mercado de trabalho”, afirma Vivi Duarte, que desde o início do projeto tem como foco transformar a vida de meninas que nasceram sem oportunidades. “Enquanto leis não saem do papel é preciso agir e garantir que estas meninas sejam protagonistas de suas histórias”. 

 

O projeto já impactou positivamente a vida de mais de duas mil meninas em São Paulo, e atua em mais dez estados brasileiros, com metodologias que promovem a autoestima e o protagonismo delas em várias áreas. São oito meses de módulos relacionados a diversas áreas: entre elas, empreendedorismo, educação financeira, liderança e programação. Após o período, a menina é encaminhada para vagas de emprego como Jovem Aprendiz em grandes empresas parceiras do Instituto, como Unilever, Pepsico, Bayer, Omie, Amaro, entre outras.

Para celebrar as conquistas das meninas brasileiras, o Instituto organiza o seu primeiro Festival Plano de Menina, evento gratuito que será realizado no dia 11 de Outubro – o Dia Internacional da Menina, data declarada pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 2012 – no Museu de Arte de São Paulo, o MASP, atualmente o maior museu da América Latina.

 

                        

 

O evento traz uma programação inspiradora, trazendo histórias reais de meninas da periferia formadas no Instituto que estão transformando suas realidades com projetos embasados em propósitos e novas visões de mundo. Painéis com a presença de influenciadoras digitais como Xan Ravelli e Ellora Haonne e shows da rapper Yzalu e da Banda As Valquírias também estão na programação. A jornalista Joyce Ribeiro e a juíza Mylena Ramos serão apresentadora e mestre de cerimônia do evento, respectivamente.

 

 

 

 

No festival também será lançado o mini documentário “Me Dá Uma Licença”, uma co-criação das meninas que participam do projeto.

Karoline Gomes

Feminista negra interseccional, jornalista de formação e pós-graduanda em Cinema e Linguagem Audiovisual. É fundadora do projeto sobre endometriose e saúde da mulher, EndoMapa e co-diretora do Entreviste um Negro. Passou por veículos como MdeMulher, Finanças Femininas, Modefica, Think Olga e outros, sempre trazendo conteúdo com viés de gênero e raça.