FMI terá primeira mulher como ministra-chefe da história, a indiana Gita Gopinath

Hoje podemos comemorar mais um espaço conquistado pelas mulheres. Nesta semana, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, nomeou a indiana Gita Gopinath como economista-chefe do organismo internacional e esta será a primeira vez que uma mulher ocupará esta posição.

O cargo é um dos mais importantes no organograma do FMI, já que tem a função de coordenar os relatórios de previsões globais publicados semestralmente, considerados referência para mercados e governos.

Gita irá substituir Maurice Obstfeld que irá se aposentar no fim deste ano. Essa mulher poderosa, que está ocupando um espaço tão importante onde nenhuma outra mulher teve anteriormente a oportunidade de estar, é hoje professora de estudos internacionais e economia na Universidade de Harvard.

 

“Gita é uma das economistas mais importantes do mundo, com credenciais acadêmicas impecáveis, um histórico comprovado de liderança intelectual e ampla experiência internacional.

 

Tudo isso a torna excepcionalmente bem posicionada para liderar nosso Departamento de Pesquisa nessa importante conjuntura. Tenho o prazer de nomear uma figura tão talentosa como nossa economista-chefe”, disse Christine Lagarde, diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI).

 

Gopinath é co-editora da American Economic Review e co-diretora do Programa Internacional de Finanças e Macroeconomia do Escritório Nacional de Pesquisa Econômica (NBER, na sigla em inglês).

É co-editora do atual Manual de Economia Internacional com o ex-conselheiro econômico do FMI Kenneth Rogoff. É autora de 40 artigos de pesquisa sobre taxas de câmbio, comércio e investimento, crises financeiras internacionais, política monetária, dívida e crises de mercados emergentes.

Gita Gopinath nasceu e cresceu na Índia e tem cidadania norte-americana. Fez doutorado em Economia na Universidade de Princeton, em 2001, depois de se formar pela Universidade de Delhi e fazer um mestrado na Delhi School of Economics e na Universidade de Washington.

Ela ingressou na Universidade de Chicago em 2001 como professora assistente antes de se mudar para Harvard em 2005. Tornou-se professora titular em 2010.

Kelly Sá

Amante da arte, das palavras. Adora crianças, cachorros e gatos. Formada em Letras, adora trabalhar com conteúdo, fazendo das palavras o seu brinquedo preferido.