G20 cria grupo de líderes mulheres para promover igualdade de gênero e empoderamento feminino

Em uma iniciativa inédita, o G20 lançou no último domingo (6) em Ancara, capital turca, o Women 20 (W20), um grupo que reúne lideranças femininas dos 20 países do bloco para promover a igualdade de gênero.

Anfitrião da reunião, o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu disse que a criação do W20 entra para a história. “Não para a história do G20, mas para a história da humanidade. Sem a participação de mulheres, não pode haver futuro na economia global”.

Considerada fundamental para estimular o crescimento global, a igualdade de gêneros agora ganha mais atenção e voz pela mão dessas mulheres das nações mais ricas do mundo.

Em 2014, após um dos encontos do G20, nasceu o projeto “promessas de 2025”, em que os países participantes se comprometeram em aumentar em 25% a participação da mulher na força de trabalho, o que na época significava 100 milhões de empregos na economia global.

Primeira mulher a comandar o organismo internacional, Christine Lagarde, diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), enfatizou em seu discurso de lançamento do W20 que lutar pela igualdade de gênero não é uma questão só moral, mas também econômica.

Segundo pesquisa do FMI, se homens e mulheres entrassem no mercado no mesmo ritmo, o PIB dos EUA cresceria 5%, o do Japão, 9% e o da Índia, 27%.

“Essas estimativas, embora sejam, claro, apenas um exercício, são significativas e grandes o suficiente para serem levadas a sério. Isso se aplica particularmente a países onde o potencial de crescimento está caindo, enquanto a população está envelhecendo” afirmou Lagardeainda no discurso.

Outro ponto levantado pela  diretora do FMI é que a maior inclusão de mulheres no mercado reduziria também o problema de pobreza no mundo. “A Organização de Alimentos e Agricultura (FAO, na sigla em inglês), por exemplo, estimou que dar às mulheres os mesmos recursos agrícolas aos quais os homens têm acesso poderia aumentar a produção agrária em 4%, tirando 100 milhões de pessoas da fome”, segundo a assessoria de imprensa do FMI.

Aguardamos ansiosas pelo dia 7 de outubro, quando acontecerá a primeira reunião do W20 em Istambul, também na Turquia.

Assista abaixo o vídeo do discurso em que o W20 é oficialmente lançado:

 

 

No site oficial, elas já compartilharam as prioridades do grupo. Selecionamos as mais importantes aqui:

1- Inserir mulheres na econômia através de educação, empreendedorismo e oferta de empregos;

2- Eliminar a discriminação no ambiente de trabalho, reforçando nossos direitos e promovendo oportunidades mais equalitárias;

3- Garantir o acesso das mulheres aos recursos financeiros e produtivos necessários;

4- Dar suporte para mulheres que querem empreender e inovar;

5- Crescer a presença de mulheres nos setores públicos e privados, principalmente, em cargos de liderança.

 

Ana Victorazzi

Jornalista

Apaixonada por café, cor laranja e animais. Formada em jornalismo e mãe de dois gatos, acredita na bondade das pessoas.