Mães atletas do Vôlei ganham homenagem no Agosto Dourado

Vida de atleta exige determinação, garra, força, entrega, paixão, entre outras qualidades. Vida de mãe esportista demanda as mesmas potencialidade, porém, elevadas ao quadrado. O Vôlei Nestlé sabe disso e valoriza a dedicação de suas ‘mães atletas’ e o esforço despendido para serem grandes profissionais em quadra e verdadeiras heroínas na criação dos filhos. Por isso, Fabíola, Carol Albuquerque e Camila Brait serão homenageadas antes da partida contra o Vôlei Bauru, sexta-feira (25), às 19h30, no José Liberatti, no primeiro compromisso do time de Osasco em casa.

A homenagem tem uma motivação a mais. Chamado de Agosto Dourado, o mês é dedicado à conscientização sobre a importância do aleitamento materno e Camila Brait mergulhou de cabeça nessa ação ao criar, nas redes sociais, a campanha Atletas Amamentam. A líbero do Vôlei Nestlé está grávida e, portanto, fora das atividades do time neste início de temporada. Mas ela conta com a apoio das companheiras, que gravaram vídeos para serem veiculados no Instagram e página do Facebook , além de colocarem em suas redes sociais.

 

Camila Brait em quadra, antes da gravidez (João Pires/Fotojump)

 

“Meu sonho sempre foi ser mãe. E quando engravidei, comecei a pesquisar tudo sobre maternidade. E descobri que amamentação ainda causa muitas dúvidas entre as mulheres e carece de mais informação. Por isso criei a campanha, com vídeos no Instagram e Facebook, com depoimentos de mães, atletas e profissionais da área de saúde. Contar com o apoio das meninas do vôlei, seja postando vídeos ou usando a #atletasamamentam, foi especial” afirma Camila, grávida de seis meses de uma menina que vai se chamar Alice.

Carol Albuquerque é mãe de Matheus, 13 anos, enquanto Fabíola tem duas meninas: Andressa, que completa 11 anos na próxima semana, e Annah Vitória, com um ano e dois meses. “Sou a favor do aleitamento materno. Tive duas experiências diferentes com minhas meninas. Com uma, tive pouco leite e precisei voltar cedo ao trabalho. Na segunda gestação consegui amamentar um pouco mais. Se eu pudesse, teria amamentado por dois anos. Até mais. Mas amamentei o quanto pude. Acho este ato de fundamental importância. Além da saúde do bebê, cria um elo entre a mãe e a criança”, afirma Fabíola.

 

Mãe na Seleção Brasileira

Tandara também é uma das mães do Vôlei Nestlé. E como faz parte da Seleção Brasileira que se prepara para a Copa dos Campeões no Japão a partir de 5 de setembro, a ponteira não confirmou presença na homenagem desta sexta-feira. “Sou a única mamãe da seleção atualmente e é sempre difícil ficar longe da Maria Clara. Sofro bastante, mas é por uma boa causa. É para defender o Brasil, crescer como atleta. Mas quando voltar ao Vôlei Nestlé poderei ficar direto com ela”, conta a atleta sobre a filha de pouco mais de um ano e meio de idade.

 

Nutrindo os Sonhos dos Jovens

De olho no futuro e na nova geração do vôlei brasileiro, o Vôlei Nestlé reforçou o DNA de seu projeto ao firmar parceria com o Programa Global “Nutrindo os Sonhos dos Jovens”, lançado pela Nestlé na Europa em 2013, e que chegou ao Brasil no final de 2015. A equipe para a temporada 2017/18 deve manter a filosofia de mesclar atletas experientes com jovens, que buscam espaço em um clube tradicional como o Osasco. O programa está voltado para a capacitação de jovens para qualificá-los profissionalmente.

 

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.