Mulheres em Cannes | Glass Lion: quebrando expectativas

O inédito Glass Lion foi acompanhado de muita especulação e apostas. Um dos favoritos de muita gente (inclusive aqui do Plano Feminino) era a campanha #LikeAGirl, da Always, campanha que fez um estrondoso sucesso nas redes ao falar de igualdade de gênero.

Mas, para surpresa geral, o Grand Prix do Glass Lion foi para “Touch the Pickle”, a campanha da marca Whisper, da Procter &Gamble. Feita pela BBDO Índia Mumbai, a campanha fala de um tabu indiano: mulheres são consideradas impuras durante o período menstrual e, por isso, ficam presas a uma série de restrições: não entrar em templos, não entrar na cozinha, não lavar o cabelo, e até o bizarro “não tocar em jarras de pickles”, para que eles não estraguem.

Para combater essas crenças e libertar as mulheres na Índia de hábitos opressivos, a marca criou uma campanha com vídeo, estimulou a discussão pelo Twitter e envolveu uma atriz de Bollywood na conversa em programas de TV. A campanha alcançou 1, 9 milhões de views no youtube e sua página do Facebook estimula as mulheres a dividirem suas histórias de como superar tabus.

O resultado surpreendeu muita gente e por isso o Plano Feminino quis saber a opinião de algumas mulheres que trabalham em publicidade.

Para Nathália Capistrano, criativa da McCann, a categoria “acaba sendo uma das mais difíceis de julgar. Como qualificar o que foi mais representativo, o que “fez mais diferença” na vida das mulheres”.

Carla Alzamora , diretora de planejamento da Heads Propaganda, esperava que Like a Girl ganhasse o Grand Prix segundo ela “Pela força da mensagem, pelo impacto global, por conseguir fazer com que as pessoas se questionem, e por fim, por ressignificar um termo usado normalmente para diminuir.”

Para Nathália, a inclusão do Glass Lion foi importante já que “as peças e campanhas são – pelo menos – 90% reais. Foram coisas que realmente acompanhamos e vimos dando repercussão de verdade. É o assunto que o mercado está sendo pressionado para se envolver, mostrar resultados.”

Ao analisar o Grand Prix, Carla acrescenta “Por mais que eu torcesse para a Like a Girl, a “Touch the Pickle” fala de um tema tão sensível e tão brutalmente tratado na Índia, que não fiquei decepcionada. Precisamos ver campanhas com sororidade também”.

A regionalidade do case também é destacada por Nathália Capistrano “Touch the Pickle é da Índia, um país com uma infinidade de problemas reais com o papel da mulher e, pra piorar, tabus religiosos.Um negócio super delicado num mercado problemático. É uma mensagem forte dar o prêmio para uma campanha de lá.”

Mas ela admite que torcia para outra concorrente “Minha favorita pessoalmente era “Like a Girl”. Principalmente, porque é uma mensagem global. Em todo lugar do mundo “fazer algo como uma garota” é ofensivo. Que é justamente o oposto da regionalidade de Touch the pickle”

Além de “Touch the Pickle”, que levou o Grand Prix da categoria, foram premiadas com o Glass Lion as campanhas “Feliz Dia Hombres” , da Notable Montevideo para Urufarma, e “Like a Girl”, da Leo Burnett Toronto, “Vote for us, we’ll vote for you”, da Leo Burnett Beirute para Kafa; “The Equal Pay Back Project”, da Droga5 New York para Nationl’s Women Law Center; “This girl can”, da FCB Inferno de Londres para Sport England; “Share the Load”, da BBDO India para a Procter & Gamble, e “Give mom back her name”, da Impact BBDO de Dubai para UN Women.

A categoria não tem ouro, prata ou bronze. No shortlist havia uma campanha brasileira, a “180 Make up Line”, da New Style para a Avon, que mostramos aqui.

Para assistir todas as campanhas indicadas clique AQUI.

mulheresemcannes