O amor começa depois do "viveram felizes para sempre"

Desde pequena, você aprendeu que o importante era encontrar a pessoa certa. Primeiro, nos contos de fadas, a princesa sempre encontrava seu príncipe encantado e eles eram felizes para sempre. Depois nas comédias românticas, nas músicas, nas declarações de facebook… Acontece que o amor começa quando o filme acaba, o amor começa depois do “viveram felizes para sempre”.

Para que os relacionamentos funcionem, quatro coisas são fundamentais e é delas que vou falar nas próximas semanas. A primeira delas é saber INVESTIR UM NO OUTRO.

Há uma ilusão perigosa para o relacionamento: a de que o importante é encontrar a pessoa “certa”, e depois disso tudo será maravilhoso. Mas o sucesso de um relacionamento depende do que acontece depois que você se comprometeu e não ao encontrar a pessoa. Quando as coisas não correm bem, as pessoas acham que não encontraram a pessoa certa, e saem buscando outras pessoas, em um processo que às vezes nunca acaba. (Quem é que não conhece alguém que vive pulando de relação em relação?!).

Muitos casamentos arranjados (de outras culturas) dão certo de fato porque eles partem do pressuposto de que “o amor começa quando o filme acaba”, ou seja, eles sabem que depois do “sim” é que o trabalho começa juntos. Assim, a teoria da pessoa certa é um mito. Há várias pessoas compatíveis com a gente. O que é preciso é cultivar a relação com a pessoa escolhida.

A palavra é cultivar, investir. Pense, se você encontra o trabalho dos seus sonhos, o que você faz? Você vai lá e se dedica ainda mais, não é? Você fica motivada e trabalha duro. Se você não fizer isso, você perde o trabalho ou o interesse no trabalho. Pois é, nos relacionamentos é a mesma coisa, se você já escolheu uma pessoa para dividir a vida com você, agora é hora de cultivar, de investir nesta parceria. Como? Fazendo coisas juntos, por exemplo. As pesquisas comprovam que fazer atividades juntos (sair pra jantar, ver um filme, passear, ter um hobby em comum, etc) ajuda a criar alianças colaborativas. Outra coisa é identificar objetivos significativos em comum e trabalhar nisso juntos.

Nas palavras de Jonh Gottman, “Nos casamentos mais fortes, marido e mulher dividem um profundo senso de significância/importância. Eles não apenas se dão bem, eles também apoiam as esperanças, aspirações um do outro e constroem um senso de propósito na sua vida juntos”.

Enfim, amigas, é um amor ativo! Como um pai que desenvolve o amor por seu filho cuidando dele, trocando fralda, dando banho, etc…

Isto não significa que toda relação em que se investe um no outro vai dar certo. Às vezes não dará, não importa o quanto se esforce. Mas a maioria das relações não preenche seu potencial para prosperar porque não há trabalho suficientemente investido na relação. Trabalhar duro na relação não significa sofrer, pode ser divertido, preenchedor e agradável.

Pense nisso, e até o próximo post. Até lá, deixe seu comentário, compartilhe o texto com as amigas, ajude as pessoas a melhorarem seus relacionamentos.

🙂

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.