O que eles querem

Apesar de pesquisas apontarem que as mulheres sofrem mais com o acúmulo de funções e estresse no trabalho, os homens também precisam de uma válvula de escape para refrescar as ideias e fugir da rotina profissional, entre outros deveres do dia a dia.  O “Minha Adorável Agenda Insana” é um quadro que iniciamos com as mulheres e agora, estreamos com eles, para saber o que eles pensam sobre e conhecer como lidam com a correria nossa de cada dia.  Quer saber?  Começamos com André Foresti, diretor de Planejamento da F/Nazca S&S, formado pela PUC-RS, com MBA pela ESPM e Bootcamp de Planejamento pela Miami Ad School/SP. Trabalhou na Publicis/Salles Chemistri e J3P Propaganda com clientes como Chevrolet, Bosch, Centauro, FastShop, Vivo, Frontline, Shopping D&D. Editor do blog Unplanned, blog especializado em Planejamento. Professor do curso de Planning E-learning da Escuela Superior de Creativos de Buenos Aires. Enjoy!

Agenda

Uma agência não tem uma carga horária padrão. Tem momentos que trabalho 8, 9 horas por dia, mas temos picos que trabalhamos muito mais que 12 horas por dia. Depende das fases. O pior é quando trabalhos para diferentes clientes entram ao mesmo tempo. Você precisa resolver coisas paralelas. Concorrências sempre tiram o sono também.

Mas hoje eu acho minha vida equilibrada. A F/Nazca S&S é uma agência que permite os profissionais terem suas atividades e vida pessoal. Trabalha-se muito, mas com uma produtividade legal, pois o nível das pessoas é excelente. A empresa tem uma cultura bacana de ótima relação com sua equipe.

Eu acho que um publicitário trabalha 24 horas por dia. Mas não aquela coisa do resultado, business, pressão, mostrar que tá trabalhando. A gente trabalha 24 horas porque nosso trabalho é com gente, com a rua, com as coisas da vida. Então,  estamos em um aniversário de criança e você acaba observando coisas, pensando, coletando ideias.

Todo lugar é inspiração. E um bom publicitário adora isso. A gente trabalha o tempo todo, mas não se sente trabalhando o tempo todo. Esse é o segredo desta profissão. Claro que você tem que equilibrar a vida pessoal. Eu mesmo, fiz um trabalho com uma psicóloga/coaching para ajeitar meus objetivos. No impulso, pessoas perfeccionistas acabam virando workaholics e isso não é legal.

Acho que você tem que ter seus mundos paralelos para fugir da realidade.

Eu gosto de cozinhar, gosto de jogar Playstation, gosto de compor e tocar no mini estúdio em casa. São prazeres que tenho. Porém, o que me deixa zero estressado é a corrida. Aquela semana que eu não corro e fico muito mais perto de explodir com algum problema diário. Quando estou com os treinos em dia, eu aumento tolerância e ânimo para fazer as coisas.

Uma dica que eu gostaria de dividir é a questão de buscar o novo olhar. Por exemplo, você vai para o trabalho pelo mesmo caminho e etc. Tente entrar numa rua que nunca entrou. Faça uma lista de restaurantes novos e visite. Legal falar com gente nova. Tempo atrás uma amiga me disse “com a companhia certa qualquer lugar fica bacana”. Sim, é verdade. Mas com os desconhecidos você vira a página, sai do padrão de papo, de conhecimento. Falta isso para gente. Isso pode inspirar.

Coisas do tipo. Ser humano acaba sendo cíclico. Acho que sair disso é um passo legal para ter prazer e ser bem sucedido nas suas relações, sejam profissionais ou pessoais.

 

Viviane Duarte

Fundadora

Jornalista e Fundadora do Plano Feminino. Sua paixão está em criar estratégias que inspirem e gerem conexões com propósito por meio de conteúdos e projetos especiais que promovam a igualdade de gênero e o empoderamento feminino na publicidade e sobretudo, na sociedade.