OMS lança guia para reduzir mortes maternas e de bebês

A melhor forma de mudar o mundo é com informação e conhecimento.

Pensando nisso, a Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou um guia para profissionais que trabalham diretamente com gravidez que ajuda a reduzir as mortes evitáveis de mães e bebês.

No documento, são apresentadas as principais causas de óbito (hemorragia pós-parto, infecção, parto obstruído, pré-eclâmpsia e asfixia ao nascer).

Segundo a agência da ONU, “a maioria das mortes maternas e infantis acontece, geralmente, no momento do parto ou nas primeiras 24 horas depois do nascimento”.

Mais de 130 milhões de nascimentos são registrados todos os anos no mundo e as mortes maternas chegam a 303 mil. Já bebês que nascem mortos chega a 2,6 milhões e 2,7 milhões de recém-nascidos morrem durante os primeiros 28 dias de vida.

Os dados alermantes se devem, pricipalmente, aos óbitos em regiões pobres, de baixos recursos e sem assistência médica especializada.

“Muitas mulheres e crianças ainda estão morrendo durante o parto de causas que podem ser evitadas, geralmente ligadas à baixa qualidade de assistência”, diz a diretora-geral assistente da agência para Sistemas de Saúde e Inovação, Marie-Paul Kieny.

 

 

Esse guia faz parte dos novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), uma série de metas para reduzir as mortes maternas e infantis no mundo.

Também foi lançada a nova Estratégia Global para a Saúde de Mulheres, Crianças e Adolescentes 2016-2030.

 

Ana Victorazzi

Jornalista

Apaixonada por café, cor laranja e animais. Formada em jornalismo e mãe de dois gatos, acredita na bondade das pessoas.