Os desafios da liderança

Ser líder não é uma tarefa simples. É preciso gerenciar a equipe, administrar as diversas ferramentas das empresas dedicadas à gestão dos recursos humanos, influenciar o time e dar o exemplo em suas atitudes e comportamentos. No meio de tudo isso ainda estão “as atividades para as quais a profissional foi contratada”. 

 

Quando se está no papel de líder, as responsabilidades são muitas. Por isso, ter aliados é essencial. E não é preciso procurar muito. São os próprios integrantes da equipe. E quando temos um time unido, a responsabilidade é dividida e todos passam a zelar pelo bom desempenho do grupo. Por exemplo: se um profissional está sobrecarregado e com dificuldade de cumprir prazos, pedir ajuda não é um problema – na verdade, o apoio pode até chegar antes de ser solicitado, porque a necessidade já foi percebida. 

 

 

Para chegar a esse nível de integração, é preciso construir um ambiente colaborativo. E isso é possível por meio de algumas atitudes: 

– Dar o crédito: nunca, em hipótese alguma, pegue o crédito por um projeto ou ideia. se alguém da sua equipe fizer isso, converse com a pessoa;

– Manter a calma: mesmo nas situações mais complicadas, não grite, não brigue. Se perceber que está muito nervosa, esfrie a cabeça – dar uma volta ajuda muito;

– Priorizar: não peça para sua equipe fazer tudo ao mesmo tempo. Verifique o que é prioridade e auxilie cada pessoa a organizar sua agenda;

– Fornecer feedback: parabenize a equipe em público e critique em particular. As duas atitudes são importantes e devem ser feitas praticamente todos os dias; não espere os momentos formais de feedback, porque as situações podem ter sido esquecidas ou ter uma importância menor depois de tanto tempo;

– Combinar “o jogo” com os envolvidos: nunca prometa nada sem antes falar com os profissionais que serão responsáveis por executar uma tarefa. Apenas eles poderão dizer se é viável, se o prazo é adequado e se todas as informações foram fornecidas.

 

Existem outras atitudes que podem ser tomadas pela liderança para tornar o ambiente de trabalho colaborativo, mas eu considero essas as mais relevantes. Porém, no meio de toda a correria do dia a dia, pode ser que você se esqueça delas. Se isso ocorrer, não se preocupe. Aplique as duas regras de ouro para um bom relacionamento pessoal e profissional: reciprocidade (não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você) e peça desculpas, quando perceber que cometeu um erro. 

Lygia Pontes

Relações Públicas com especialização em Administração de Empresas. É advisor e consultora em felicidade profissional e eficiência. Também é professora e palestrante em temas ligados aos três pilares fundamentais para o sucesso profissional: comportamento, comunicação e gestão Seu propósito é auxiliar pessoas a construírem relações positivas e produtivas mesmo em ambientes competitivos, como os das empresas.