Passatempo só é bom se for biscoito

Muitos homens, ou a maioria, não procuram um relacionamento estável e sim alguém que supra suas carências e os deixem com toda a liberdade almejada. E nós? O que desejamos? O que achamos que desejamos? O que demonstramos que desejamos? Também somos humanos. E, como todo o ser dessa espécie, temos nossas carências e perspectiva de liberdade. Gostamos de brincar. Brincar de ir ao cinema, de jantar, de andar de mãos dadas, de receber mensagem. Gostamos do “sexo sem compromisso” e da independência que tanto lutamos para ter. Somos mulheres modernas e temos todas as necessidades que o sexo masculino também tem. Mas somos complexas, não é isso que dizem? Então nada é tão simples. Vamos dar jus a esse adjetivo machista que nos aplicaram.

Ser passatempo cansa. Suprir carência não preenche o vazio sentimental que existe em nós. Entendam que step é algo passageiro, você troca ou substituí. Sabemos bem o significado disso. Usamos bem e sabemos trocar quando temos um.
Somos românticas, embora às vezes não pareça. Fomos criadas com as comédias românticas de Hollywood. Sempre achamos que o “caso passageiro” possa vir a ser um grande amor. No fundo achamos isso. Saibam que gostamos de chocolate, de nos sentimos prioridades de ser importante pra alguém.

Antes de escolher uma mulher para acabar com sua carência, lembre-se que ela é tão carente quanto você e que procura algo mais. Algo que se você não der, ela encontrará em qualquer outro sorriso que a conforte. Em qualquer outra torpedo na madrugada. Em qualquer outro beijo que a priorize mais que você.

 

 

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.