Tá difícil fazer a criançada comer de forma saudável? Não desista, temos dicas pra te ajudar

Oferecer pra criança uma grande variedade de alimentos saudáveis, mesmo quando eles não gostam, é importante pra criar o hábito de uma alimentação saudável que vai ajudá-lo por toda a vida. Tá, não é uma tarefa fácil, a gente sabe bem, mas insistir vale a pena e isso não é só teoria, não, viu? Uma pesquisa agora comprova que vale insistir.

Publicado em 20 de dezembro de 2017, no Obesity Reviews, o estudo tem como autora principal Stephanie Anzman-Frasca, professora assistente do Departamento de Pediatria da Universidade de Buffalo, EUA.

Segundo a autora, o objetivo era revisar a literatura, a fim de fazer recomendações aos pais e cuidadores sobre como incentivar a alimentação saudável das crianças, começando o mais cedo possível.

 

Tal mãe, tal filho

Os pesquisadores basearam suas recomendações em dados coletados em mais de 40 estudos sobre como bebês e crianças pequenas desenvolvem suas preferências por alimentos saudáveis, especialmente por vegetais e frutas.

 

 

Tudo começa com uma alimentação salutar durante a gravidez, ressaltam os autores. Os sabores da dieta da mãe afetam o bebê ainda no útero. Então, se a mãe tem uma dieta saudável, o feto é exposto a esses sabores, fazendo com que o bebê seja inclinado a apreciá-los com mais facilidade.

“Após o nascimento, se a mãe amamentar, o bebê também se beneficia da exposição ao sabor do leite materno. Estas exposições iniciais familiarizam o bebê com sabores específicos, bem como a experiência de variedade e preparam o cenário para a aceitação posterior dos sabores ​​dos alimentos sólidos saudáveis”, explica o pediatra e homeopata Moises Chencinski.

 

Sirva alimentos saudáveis, repita, sirva alimentos saudáveis, repita…

Mesmo depois da fase de introdução alimentar, expor repetidamente as crianças a pratos que rejeitaram anteriormente, pode ajudá-las a aceitar e gostar dessas comidas. “O método de repetir a exposição da criança aos alimentos saudáveis ​​tem uma sólida base de evidências científicas por trás disso. Há muitos estudos com crianças, em idade pré-escolar, que começam não gostando de abóbora, por exemplo, mas, depois de cinco a seis sessões (podendo chegar a 10 a 15), onde esse alimento é oferecido repetidamente, elas acabam gostando do alimento”, orienta o pediatra Moises Chencinski.

 

Outras recomendações

  1. Varie os alimentos durante o período pré-natal e aproveite os períodos em que a neofobia (antes dos dois anos) – rejeição às coisas novas – é menor para apresentar novos sabores;
  2. Estratégias, além da exposição repetida, como recompensar a ingestão de alimentos saudáveis, podem funcionar em algumas situações, mas há algumas evidências de que elas também poderiam diluir o poder dessa atitude. Os pesquisadores sugerem que pais e cuidadores comecem com abordagens simples, como a exposição repetida, reservando outras estratégias para os casos em que sejam necessários para motivar a degustação inicial;
  3. Mudanças, em grande escala, podem ajudar as crianças a fazerem escolhas saudáveis ​​mais facilmente, em todos os ambientes. Por exemplo, sempre fazer refeições acompanhadas de bebidas saudáveis, assim, os acompanhamentos padrão nas refeições das crianças em restaurantes podem aumentar a exposição das crianças a esses itens.

A verdade é que a insistência ajuda no paladar, faz com que ele se acostume como novos sabores e com o tempo a criança se acostuma com os alimentos que os pais oferecem e assim fica mais fácil fazer com que ele tenha uma alimentação saudável. Então, boa insistir nos legumes, frutas e verduras que vale a pena, sim!

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.