Vamos cuidar de quem queremos ser?

“Se cuida.”
Talvez este seja o conselho que mais ouvimos das pessoas que se preocupam com a gente –  é frequente – mas muitas vezes esquecemos seu significado e, principalmente, de colocá-lo em prática.

Um cuidado que pode ser simplificado em não fazer algo que poderia nos prejudicar ou alguém à nossa volta. Cuidar. Carrego isso como lema e tenho notado que nossa geração também. Estamos procurando cuidar mais. Cuidar uns dos outros, das coisas que realmente importam, de nós mesmos.

Essas novas escolhas estão modificando nossos atos e nos moldando.


Pensando “na pessoa que gostaria de ser quando crescer” decidi passar a consumir de forma mais responsável e focar naquilo que é essencial. Quero consumir, experimentar – sem excessos.  Customizar mais do que me preocupar em gastar meu rico dinheirinho com roupas que irei usar uma única vez e, depois, ficarão meses esperando eu voltar ao guarda-roupas para buscá-las de volta (quem nunca?). Me empolgar menos em consumir coisas e mais em ter tempo para mim mesma, me reinventando a cada dia e vivendo experiências que vão além do consumo sem limites e sem sentido – em todos os aspectos.

A cerveja, por exemplo, velha companheira de encontros com as amigas, entrou nessa minha mudança e percepção de consumo versus experiência. Quero beber, mas também quero aproveitar a festa, as companhias e tudo mais. Quero lembrar de cada detalhe no dia seguinte: das gargalhas, dos bafões, da cumplicidade com meus amigos, que é o que realmente importa e faz sentido pra mim. Quero cuidar de quem sou para mim mesma e para o outro. Se te parece banal, acredite, não é. E a boa nova é que percebo que não estou sozinha neste movimento de pensar consumo, quando vejo pesquisas como as que dizem que **75% dos jovens passaram a limitar a quantidade de álcool na maioria das vezes que bebem e 46% dizem que a qualidade é prioridade na escolha da bebida alcóolica. Estamos priorizando experiências e estas escolhas nos levarão a lugares e sensações incríveis.

Atitude que serve para tudo nessa vida e faz a gente se sentir mais leve e feliz. Faz a gente construir ao invés de desmoronar. Quero isso para minha vida e para a vida das pessoas que estão ao meu redor.

Um grande desafio que tive durante esse processo de novas escolhas foi ressignificar a ideia de diversão e aprender que posso aproveitar os momentos, me divertir sem excessos e evitar consequências ruins no dia seguinte. Pra isso, precisei estar ao lado de quem escolheu curtir a vida da mesma maneira. Tem a ver com a gente encontrar no mundo pessoas que têm a mesma vibe e propósito que a gente e escolher estar ao lado delas, sabe como? Por isso, quem a gente escolhe para estar do lado é essencial para consolidarmos nossas escolhas.

Faz pouco tempo que me dei conta da importância de tudo isso. Me dei conta da importância da minha reputação e passei a priorizá-la. A notar o quanto a forma como eu me comporto on e off-line, numa boate ou na timeline do meu Facebook, diz muito sobre mim, sobre meus valores e crenças. E tudo isso impacta e define quem são as pessoas que se aproximam ou se afastam de mim.

Cada ação afeta a percepção do outro sobre quem eu sou e isso tem relação direta não só com minha vida pessoal, mas profissional também. Nossas escolhas e ações de hoje, constroem quem seremos amanhã. O que implica, muitas vezes, em dizer NÃO praquela companhia sem filtro ou pra última rodada de cerveja na mesa do bar. Tudo por entendermos nossos limites e aonde queremos e podemos chegar com nossas escolhas. Não tem a ver com privação, mas escolhas e cuidado. Percebe? Cuidar de nossa reputação, de quem somos e aonde queremos chegar nunca foi tão importante. Pelo menos para mim.

Entre uma experiência e outra, observações de mim mesma e do outro, de minhas paixões e convicções, decidi que quero ser conhecida na rede como uma pessoa que amplifica espaços de conexão entre as pessoas e quero ser reconhecida por isso – me conectando às pessoas que pensam como eu e fazem trabalhos semelhantes com os que eu gostaria de fazer. A partir destas conexões criei laços e comunidades que me impulsionam a cada dia e promovem experiências para escrever a história que quero contar sobre mim mesma. São esses vínculos e ações feitas com cautela e lucidez que criam e fortalecem nossa imagem pessoal e permitem nossa expansão e florescimento. Estou descobrindo um caminho fantástico a partir de minhas escolhas e entendendo que minha história terá o enredo que eu quiser, depende de mim mesma.


Ainda estou em um processo de construção e sempre estarei. Cuidar de mim e da minha imagem é uma tarefa sem data para acabar. O segredo é fazer escolhas mais conscientes e agir de forma responsável – na balada, nas mídias sociais, dentro de minha casa com os meus – em todos os espaços, vivendo mais experiências e cheia de orgulho para contar minha história pro mundo.

 

 

* *Números baseados na pesquisa global da cervejaria HEINEKEN.  O estudo entrevistou cinco mil consumidores de cerveja, entre 21 e 35 anos de idade, em cinco países: Brasil, Estados Unidos, Holanda, Inglaterra e México. O levantamento é uma iniciativa da plataforma ‘Enjoy Responsibly’ da marca Heineken, que investe anualmente 10% de sua verba de mídia em ações de consumo responsável.

 

Redação

Produzido por uma equipe cheia de Planos para compartilhar.