Acolher sem julgar é o melhor caminho para ajudar quem está com depressão

Estamos chegando ao fim do setembro amarelo, quando falamos sobre depressão e prevenção ao suicídio, mas a nossa luta continua, afinal, a doença atinge cerca de 322 milhões de pessoas no mundo e por isso é importante falar sobre o assunto para que todo mundo saiba que existe uma saída e que ela pode voltar a ter uma boa qualidade de vida.

A depressão é uma doença comum e falar sobre ela não deve ser um tabu. É necessário abordar o assunto de diversas formas para que as pessoas tomem conhecimento sobre os sintomas e procurem ajuda o mais rápido possível para sair dessa situação, para encontrar a cura e o alívio para essa mistura de sentimentos que giram em torno de quem enfrenta essa doença.

Já falamos por aqui sobre os principais sintomas da depressão e como procurar tratamento é importante para a recuperação de quem sofre com o transtorno que atinge 5,8% da população brasileira. Agora, queremos mostrar que é possível encontrar o melhor caminho para ser mais feliz, para fazer aquilo que você gosta, com as pessoas que ama.

O ponto mais importante de quem está passando por depressão é mostrar que ele ou ela não está sozinho ou sozinha e que ter as pessoas queridas por perto faz parte do processo de recuperação e são essenciais para que a pessoa tenha com quem contar.

A psicológa e neuropsicóloga Camila Mazeto diz que é primordial acolher quem está com depressão, mas sem fazer julgamentos.

 

“Tenha uma atitude de acolhimento e compreensão. Se coloque à disposição da pessoa, escute e valide o que essa pessoa tem a dizer, entenda o que ela está passando. Ter empatia é fundamental para ajudar quem está passando por um momento tão difícil como as crises de depressão.”

 

A psicóloga Nathany Santos completa e diz que investir em atividades que dão prazer ajudam muito: “É importante que a pessoa que está em depressão busque atividades que tragam prazer. Pode ser natação, música, o que a pessoa preferir. Realizar uma atividade  lida diretamente com a maneira como a pessoa olha seus prazeres. Dentro de uma crise a gente sabe que não é fácil, mas se a pessoa tiver algo que dê prazer, ela deve se dedicar a isso até que o tratamento com um especialista comece a fazer efeito.”

Contar com a ajuda de um psicólogo e um psiquiatra é essencial para quem está com o depressão. O especialista vai avaliar cada caso de forma individual, porque existem diferentes tipos e níveis de depressão, e só aí irá recomendar um tratamento que esteja de acordo com as necessidades do paciente.

A especialista Ellen Moraes Senra, Psicóloga e especialista em Terapia Cognitiva Comportamental, diz que é imprescindível procurar ajuda logo nos primeiros sintomas: “É importante identificar os sintomas e saber como lidar com eles, para evitar que fique cada vez mais pesado de encarar. O tratamento envolve psicoeducação para que a pessoa entenda que aquilo é um transtorno e que isso vai passar. Quando a pessoa está em tratamento, isso acontece muito mais rápido.”

 

 

Para a psicóloga Camila Mazeto, é essencial, além do tratamento, ter amigos e a família por perto para ser o porto seguro, para que o paciente saiba que é acolhido e amado. “Além do tratamento com o psicólogo, é importante ter acompanhamento médico psiquiátrico pra que a pessoa possa receber medicação e junto com a psicoterapia saber trabalhar todas as suas questões mentais, entender o que realmente a aflige.

Os amigos e família podem e devem ajudar essa pessoa a encontrar o melhor tratamento. Ter uma rede de apoio é muito importante para que ela tenha sustentação e não passe por isso sozinha.”

A psicóloga Carla Ramalho completa ainda dizendo que o tratamento ajuda a pessoa a reencontrar seu ponto de equilíbrio e o papel da terapia é facilitar este processo. “Por meio de uma ressignificação permanente da vida, a gente busca caminhos para que a pessoa encontre seu verdadeiro sentido existencial, sua realidade mais íntima, e seja encorajada a sentir prazer em olhar para si mesma.”

A lição que tiramos disso é que, acima de tudo, quem está enfrentando a depressão deve procurar um tratamento e ter ao lado amigos e família para que sejam seu ponto de força. Com a união disso, a recuperação se torna muito mais rápida e eficaz.

A psicóloga Ellen diz que os resultados podem aparecer rapidamente se a busca por tratamento acontecer logo no início dos sintomas. “Claro que cada caso é um caso, existem tipos diferentes de depressão. Mas, uma crise costuma durar em média 6 semanas. Se a pessoa procurar ajuda no início e se empenhar no tratamento, de 4 a 6 semanas verá resultados. Ela passa a entender os sentimentos, os gatilhos e começa a encontrar formas de superá-los.”

Já a especialista Carla Ramalho, reforça que seguir as orientações do profissional é essencial para a recuperação: “Alguns psicólogos passam tarefas ou indicações de atividades para que a pessoa possa trabalhar durante a semana. É muito importante seguir todos os passos apresentados durante as sessões de terapia e também falar se algo não lhe agrada, afinal, estamos ali para ouvir sem julgamentos e amarras.”

Quanto mais falarmos sobre o assunto, menos isso será um tabu e poderemos ajudar cada vez mais pessoas que estão com depressão, mostrando a elas que há uma solução, que ela não precisa enfrentar essas dores sozinha.

Para a psicóloga Camila Mazeto, campanhas como o Setembro Amarelo são essenciais para que todos entendam o que é a depressão e as formas de lidar com essa doença tão triste e tão comum; “As campanhas são importantes porque há um estigma muito grande em relação à doença mental. Tudo o que pudermos fazer para acabar com o tabu sobre isso é válido.

As pessoas tendem a não falar abertamente, elas entendem que tocar no assunto de suicídio possa incentivar esse tipo de ação, mas na verdade é o contrário. Quanto mais isso for um tabu, mais a pessoa se isola, e quanto mais falarmos sobre isso, maior é a tendência de a pessoa buscar ajuda.”

Ouvir, acolher, ter empatia, oferecer ajuda, buscar tratamento. Tudo isso faz parte do processo de recuperação de quem está com depressão. Ninguém precisa passar por isso sozinho, por isso é fundamental que a pessoa tenha sua rede de apoio, pessoas que estarão ao seu lado para ajudar, para oferecer um ombro amigo, para buscar o melhor tratamento.

Existe sim uma saída, existe um caminho para a cura, existe uma luz no fim do túnel. Há um caminho para a felicidade, para o bem-estar. Há uma rede muito forte e poderosa que pode ajudar quem está com depressão e acabar com ela. Esteja ao lado de quem precisa e ofereça seu apoio, esta é a melhor maneira de ajudar.

 

 

 

 

 

 

Kelly Sá

Amante da arte, das palavras. Adora crianças, cachorros e gatos. Formada em Letras, adora trabalhar com conteúdo, fazendo das palavras o seu brinquedo preferido.