Conheça as finalistas do projeto Hora de Brilhar, parceria de Brilhante, Unilever e Aliança Empreendedora

Tivemos a honra de participar da banca avaliadora do Processo Seletivo Hora de Brilhar,  parceria entre a marca Brilhante, da Unilever, e a Aliança Empreendedora. O Processo Seletivo Hora de Brilhar é a fase final do projeto social Ciclo Brilhante, que também conta com a parceria com a Escola de Você e que visa empoderar mulheres por meio do empreendedorismo, valorizar histórias de mulheres empreendedoras e inspirar mulheres a empreenderem seus sonhos.

O Processo Seletivo Hora de Brilhar começou depois da Escola Brilhante, no qual as alunas que finalizaram o curso eram convidadas a se inscreverem e contar suas histórias. Foram mil inscritas. A primeira triagem, onde cada inscrita foi avaliada por três pessoas especialistas, levou a 50 mulheres, que foram convidadas a enviar vídeos apresentando seu negócio. Dessas, 10 foram selecionadas para participar do programa, começando uma rotina de vinda à São Paulo para workshops e cursos presenciais, com aulas on-line ao vivo que propunham a realização de desafios nos negócios, ao longo de meses de desenvolvimento. Dentre as 10, 3 foram selecionadas como destaque, e estas receberão investimento em equipamento e matéria prima para seus negócios.

E então as 10 mulheres vindas de várias regiões do Brasil se reuniram no auditório do MASP para apresentar seus projetos: pequenos negócios tão variados como os perfis de suas criadoras. Uma veio de Minas e tem um pequeno restaurante que oferece amor em forma de pratos caseiros. Outra vende produtos eróticos no interior paulista, trazendo autoconhecimento e satisfação para mulheres.

Ainda há uma recifense que cria acessórios lindos e os vende a preços acessíveis para que meninas da comunidade se sintam mais valorizadas. Uma baiana que faz capas de sofá de acordo com o  perfil do cliente. Há aquela que começou vendendo doces na faculdade e hoje é confeiteira, a que aprendeu que ser personal organizer poderia ser um negócio mesmo tendo sofrido com falta organização a vida toda, a que faz bolsas com material reciclado e ajuda a preservar o meio ambiente, a que faz papelaria personalizada ainda dá curso disso para que outras pessoas possam aprender a profissão e a que criou sua agência de viagens após a vencer um câncer.

Cada uma delas tem sua história de empoderamento como mulher e realização de seus sonhos ligadas aos seus negócios e ao fato de terem aprendido a ser empreendedoras e com isso conquistado sua independência. É um prazer ver essas mulheres falando: podemos sentir em cada uma o orgulho por ter conseguido e o amor pelo que faz. Seus sorrisos são a maior pista: As apresentações misturam lágrimas e risadas, em um momento de forte emoção.  É o fruto de meses de trabalho árduo e foco no seu próprio crescimento.

A apresentação dos trabalhos vem da decisão de Brilhante assumir uma causa e se conectar às suas consumidoras.  A marca vem há algum tempo trazendo protagonismo e propósito a essas mulheres.  E sendo Brilhante, é ainda mais bacana: uma marca de sabão em pó que quer tirar a mulher do tanque e colocá-la em uma posição de poder.

“A história dessas mulheres nos inspira para que continuemos a empoderar mais e mais empreendedoras que vão mudar suas vidas. Estamos muito orgulhosas de todo esse projeto e das realizações que as Mulheres Brilhantes alcançaram” diz Caroline Andrade, gerente de marketing de Brilhante da Unilever.  

Fica claro que não é simples realizar sonhos: Tudo é conquistado com muito suor e foco.  Todas relatam esforço, trabalho e dedicação. E acima de tudo, contam histórias sobre acreditar em si mesmas, sobre se empoderar com suas conquistas, se inspirar através de outras histórias de sucesso e sobre vencerem os próprios desafios.

adriana

Durante a vida toda, Adriana foi apaixonada por artesanato e isso era seu hobby. Ao ver uma pessoa descartando um saco cheio de tecidos, veio o estalo: por que não usar esses tecidos descartados para criar novas peças, ao invés de deixar isso ser jogado no lixo e poluir o ambiente?

A partir daí ela começou a criar peças exclusivas usando tecidos de descarte. Desenvolveu bolsas e carteiras feitas com caixas de leite longe vida, usando um outro material que seria descartado no lixo. Cada contato é personalizado: as encomendas são entregues com um bilhete especial, um recado para a compradora. As clientes chegam pelas redes sociais, como Facebook, Instagram e Elo 7.

“Eu queria ser grande, mas tinha medo de ser grande. Acreditei em mim e pedi um microcrédito para comprar minha máquina de costura industrial e consegui pagá-lo antes do prazo. ”

Em seu pequeno ateliê, Adriana desenvolve produtos exclusivos, feitos com dedicação e carinho. A linha de produtos tem 50 itens que custam entre R$ 5 e R$ 150. Com o recurso das vendas ela também dá aulas voluntárias de costura e artesanato para outras mulheres, disseminando o conhecimento para que mais mulheres possam ser independentes e donas de seu próprio dinheiro.

ana-alice

Ana sempre amou animais e escolheu voltar de São Paulo para Ribeirão para ter mais qualidade de vida, fugindo da insônia, cansaço e stress. Chegando lá com a experiência de viver em São Paulo, que possui muitas ofertas de serviços para animais de estimação, percebeu que em Ribeirão não havia oferta de pet services e decidiu começar.

“O que eu não sabia, era que estava prestes a descobrir um grande talento!”, disse Ana.

Além do serviço de passeios, pet sitting e adestramento, Ana também tem o diferencial de atender seus clientes por WhatsApp tirando dúvidas. O negócio é sua única fonte de renda e Ana investe parte de sua receita em cursos para aprender a atender melhor os clientes e aprofundar seu conhecimento.

Com 21 animais sendo atendidos, hoje ela tem um negócio que a faz feliz, pois além do valor financeiro, recebe também elogios de seus clientes e amor dos animais que cuida. A ideia, futuramente, é capacitar outras pessoas a exercerem o trabalho e conseguir expandir o seu negócio.

ericka

Ericka começou seu negócio brincando, vendendo produtos eróticos em um casamento. Percebendo o interesse das mulheres e o potencial do mercado, ela começou a entender: o que essas mulheres querem e por que elas não entram em um sex shop? Quais as barreiras que as impedem?

O que ela percebeu é que o segredo é explicar bem o uso de cada produto. Cada óleo, lingerie ou brinquedo recebem explicações detalhadas, especialmente para clientes interessados em quebrar a rotina de seus relacionamentos.

“Eu explico tudo sobre o produto, dou dicas, falo sobre saúde e satisfação. A noite foi perfeita? A cliente volta!”, comenta Ericka.

Aprender mais sobre sexologia é essencial para seu trabalho: conhecer os músculos pélvicos, as fases do amadurecimento sexual feminino, a saúde íntima. Ericka atende em local marcado: na casa dos clientes, em sua própria casa e até em locais inusitados como o ônibus ou um hospital.

Sempre com sua mala cheia de produtos novinhos, ela vai até onde a cliente está, empoderando a sexualidade de cada uma delas e permitindo que elas se sintam mais satisfeitas, assumindo o controle sobre suas vidas sexuais.

larissa

Larissa começou vendendo doces na faculdade, mas sabia que precisava chamar atenção de alguma maneira para se destacar das outras pessoas que faziam o mesmo: a criação de uma caixinha de madeira com visor de vidro foi o diferencial. Assim, era possível ver o produto sem deixá-lo exposto, garantindo a qualidade.

“Eu não podia ser mais uma, tenho que ser diferente para vender mais. Todos os meus produtos têm que ser incríveis! Embora a minha empresa seja pequena, quero fazer com que ela pareça grande!”, diz Larissa.

A rotina de conciliar faculdade, estágio e os doces tomava o dia todo e tirava o sono de Larissa, e em 2014 ela decidiu investir só nos doces, sua maior paixão. Hoje Larissa tem um ateliê próprio e duas funcionárias, atende casamentos, festas, coquetéis, o que o cliente precisar.

Larissa se relaciona com as clientes pelo Facebook: a divulgação on-line é a chave para atrair cada vez mais negócios. Parcerias com veículos locais ajudaram a divulgar e reforçar a marca. O atendimento personalizado ajuda a descobrir o que cada cliente precisa e gosta, por meio de uma entrevista inicial. Depois disso, vem a degustação. Com produtos em todas as faixas de preço, Larissa  atende muitos perfis de clientes.

mairaA empresa de Maira faz papelaria personalizada para festas infantis: Caixinhas, convites, decoração em geral.  “Minha empresa consegue unir minha paixão pela arte com a possibilidade de levar alegria para outras pessoas”, afirma Maira.  Mãe de duas filhas, Maira conta com a ajuda de seu marido, que deixou seu trabalho para se dedicar totalmente à empresa: ambos acreditam que esse é o caminho para conciliar o trabalho com as necessidades familiares. A empresa hoje faz um trabalho especial e personalizado.

Fruto do seu ótimo trabalho e da procura, além da produção, Maira também oferece cursos on-line para que outras pessoas possam aprender os segredos da papelaria e então produzir materiais para vender em suas cidades, aprendendo uma nova profissão. Maira já teve mais de 400 alunos, e hoje o carro-chefe da sua receita é a venda de cursos.

maria

Um restaurante de comida caseira mineira: esse é o sonho de Maria Damasceno, avó orgulhosa e cozinheira de mão cheia.

“Aqui a gente vende comida, mas damos amor, carinho, a sensação de família, tão gostosa”, diz ela.

A família toda ajuda com o restaurante, que atualmente passa por uma reforma para ampliar o atendimento. Hoje, com poucas mesas, o número de pessoas ainda é restrito – a ideia é ter mesas grandes, que permitam interação entre os clientes, para que todo mundo compartilhe essa sensação de estar pertinho de quem se gosta.

Com o espaço, Maria também pretende começar a ensinar outras pessoas a cozinhar: dividir seu conhecimento e multiplicar a afetividade em pratos de comida.

otilia

Otília criou uma pequena agência de viagens após vencer um câncer, recomeçando a vida depois dos 50 anos. Com o auxílio do marido, que atua como motorista, usa uma van para levar turistas a passeios na região de Recife. Iniciou com empréstimo bancário, que permitiu a compra de uniforme e equipamentos para começar o negócio.

Com foco na terceira idade, Otília proporciona um ambiente amigável a esse público, que não se sente à vontade em viajar com pessoas desconhecidas. Por meio de parcerias com igrejas e associações comunitárias, ela cria passeios personalizados para grupos, adequados ao perfil socioeconômico do público, sempre com carinho e atenção. Ela leva seus clientes a pontos turísticos e a praias famosas da região, como Maragogi e Porto de Galinhas.

“Atuamos dentro da lei, com os seguros obrigatórios dos passageiros e do carro sempre em dia. Assim garanto cuidado e segurança para meus clientes.”, diz Otília.

A empresa aceita pagamento em dinheiro, boleto e cartão de crédito, com a possibilidade de parcelamento.  O cuidado com a apresentação e manutenção da van são suas principais preocupações, sempre visando agradar ao público fiel que conquistou. Seus próximos passos são deixar a van ainda mais completa, com wi-fi, carregadores de celular e DVD.

raiane

Raiane queria ser modelo e, para isso, precisava tirar o DRT, que é o registro profissional de modelo na Delegacia Regional do Trabalho, um dos requisitos necessários para exercer a profissão. Como não tinha dinheiro para isso, foi pra cima: juntou um pouquinho de dinheiro e investiu em fivelinhas tic tac feitas com tecidos. Com isso, produziu seus primeiros acessórios, vendeu na escola e não parou mais.

Seu público é principalmente mulheres e meninas de comunidades, que desejam se sentir bonitas e valorizadas com acessórios modernos e bonitos a preços acessíveis. Raiane afirma:

“Eu quero mostrar para elas que são capazes. Acredito que essas jovens mulheres precisam saber que elas também podem fazer, também podem crescer e conquistar. Existe um valor em usar uma peça que é feita por uma pessoa que é da comunidade, assim como elas”.

Cada coleção nasce devagarzinho: estudos sobre tendências de moda, como cartelas de cores e inspirações são o primeiro passo. Depois vem a compra e confecção das peças, tudo feito artesanalmente e com todo carinho.

As ferramentas on-line, como Instagram e Snapchat, são suas aliadas na divulgação das novas coleções. Ali, as clientes recebem todas as informações e acompanham todo o processo. Raiane formou-se em Marketing e está cursando Moda no SENAC.

rosangela

Rosângela sempre quis ter o próprio negócio. Depois de falir uma empresa e voltar a ser funcionária, passou anos pensando como poderia voltar a empreender. Observando seu ex-marido que trabalhava com estofamento, Rosângela pensou: “Posso oferecer capas de sofá, tenho certeza que tem demanda”.

Então começou meio no susto: Aprendeu a costurar na marra e passou a oferecer capas sob medida com o diferencial do design refinado e os cuidados na execução e entrega. Rosângela passa as capas de sofá na hora da entrega, na casa do cliente.

“Eu quero que meu produto tenha design, tenha elegância, que o cliente tenha orgulho de usar meu produto”, diz ela.

Com o negócio funcionando, percebeu que sua dificuldade era divulgar seu produto e buscou cursos gratuitos que a ensinassem a vencer esse desafio. Com o aumento da divulgação, veio o aumento de número de clientes, sempre mantendo o carinho com cada trabalho, desde a visita para a modelagem das capas, passando pela escolha do tecido de acordo com o perfil de uso, até a entrega do produto final.

sheila

“Todos os dias temos escolhas para fazer. Quando a vida nos derruba a gente tem que ter força para levantar e essa força se chama decisão”, esta é a filosofia de vida da Sheila, que nunca foi uma pessoa organizada: desde a época de escola dependia de alguém para ajudar a arrumar a casa e organizar sua vida.

Em 2010, ela percebeu que isso não podia continuar: com um bebê recém-nascido, um filho pequeno, e todas as obrigações que acompanham, sua vida estava um caos. Uma irmã indicou um curso de organização doméstica e tudo mudou: ao aplicar as técnicas em sua própria casa, percebeu que era possível manter a casa arrumadinha sem perder tempo e com isso ter uma vida mais simples.

Encantada com o resultado, ela começou uma corrente do bem: passou a ensinar as amigas e parentes como organizar suas casas. Aos poucos, percebeu que havia ali um potencial, a profissão de personal organizer, que engloba não apenas a organização doméstica como a corporativa, rotinas domésticas, nascimento, casamento, pós-funeral, pessoas em tratamento de saúde e muito mais.

Hoje, oferece seus serviços também remotamente, pela internet, além de ter parcerias com lojas, igrejas e outros. Isso fez com que hoje ela tenha 3 funcionárias trabalhando em seu negócio. A cobrança é feita por pacote de horas e ela atende diversos públicos.

Apaixonada por organização, seu próximo passo é investir em um canal no YouTube, criando vídeos curtos ensinando suas técnicas e ajudando ainda mais pessoas a ter uma vida mais simples.

Como é bom ver marcas com propósito como a Brilhante, Unilever e a Aliança empreendora ajudar a fazer diferença na vida dessas mulheres empreendedoras. Parabéns pela iniciativa #CicloBrilhante.

 

Gabi Bianco

Publicitária

Paulistana que não fala orra meu, mãe de gatos, nerd, publicitária, porém limpinha. Gosta de passear, cozinhar, ler, escrever e descobrir séries de tv esquisitas.